Rapaz preso por matar manicure de 19 anos por ciúme é condenado a 22 anos de prisão 

Anderson Padilha Zanelato foi preso no dia 22 de dezembro de 2018 e confessou à polícia ter estrangulado e batido na cabeça da vítima com um bloco de concreto. Sentença foi lida durante júri popular realizado em Mirassol/SP. 

Na noite de ontem (22), o homem acusado de matar a ex-namorada Luana Letícia Sales Mendes, de 19 anos, em Mirassol/SP, foi condenado a 22 anos e 6 meses de prisão, em regime fechado, durante o júri popular realizado no Fórum do município. A sessão começou às 13h e terminou às 20h30. 

Anderson Padilha Zanelato foi condenado por feminicídio qualificado. Ele foi preso em dezembro de 2018 e confessou à polícia ter cometido o crime por não aceitar o fim do relacionamento e que também foi motivado por ciúme. 

De acordo com a Polícia Civil, o corpo da vítima foi encontrado no dia 22 de dezembro, em uma estrada de terra do município. Luana estava desaparecida desde o dia 19 daquele mês. 

No dia do desaparecimento, ela saiu de casa para trabalhar e, como estava chovendo, solicitou um carro de transporte por aplicativo. No entanto, ela cancelou a corrida e pegou carona com o ex-namorado. 

Câmeras de segurança flagraram o carro dele chegando na casa da mãe de Luana. Segundo o delegado responsável pelo caso, Alceu Lima de Oliveira Júnior, depois da prisão, Anderson detalhou à polícia que estrangulou e, em seguida, bateu na cabeça da vítima com um bloco de concreto. 

Ainda conforme informações da corporação, a família da vítima perguntou para Anderson se ele sabia do paradeiro dela, mas ele negou. Além disso, ele chegou a ir na casa dos familiares para perguntar se ela já tinha sido encontrada. 

O corpo de Luana foi enterrado no Cemitério Municipal de Mirassol. Anderson permanece preso desde a época do crime e vai cumprir pena em um presídio da região. 

FONTE: Informações | G1 

0 Comentários

Deixe um Comentário

5 − um =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password