França e Suécia confirmam que opositor russo Alexei Navalny foi envenenado com novichok, afirma Alemanha

Três exames laboratoriais concluíram que Navalny foi envenenado com um agente do tipo novichok, uma substância desenvolvida pela União Soviética nos anos 1970.

Laboratórios da França e da Suécia confirmaram que o opositor russo Alexei Navalny foi envenenado com o agente neurotóxico do tipo novichok, afirmou o governo da Alemanha nesta segunda-feira (14).

No dia 20 de agosto, Navalny viajaria de Tomsk para Moscou. Ele tomou chá no aeroporto, de acordo com sua assessora de imprensa. Durante a primeira meia hora do voo, ele começou a passar mal. O piloto aterrissou em Omsk, na Sibéria, para que Navalny fosse atendido. De Omsk, ele foi transferido para Berlim.

No dia 3 de setembro, um laboratório militar alemão concluiu que Navalny, que está internato em Berlim, foi envenenado.

O governo da Rússia tem ignorado a pressão dos países ocidentais e mostrado ceticismo sobre a hipótese de envenenamento.

A Alemanha pediu a França e Suécia “uma revisão independente da evidência alemã a partir de novas amostras de Navalny”, afirmou o porta-voz da chanceler Angela Merkel, Steffen Seibert.

“Os resultados da revisão em laboratórios especializados da França e da Suécia confirmam a evidência”, declarou Seibert.

Organização para a Proibição de Armas Químicas entra em cena

O novichok é um tipo de substância química criada pelos soviéticos nos anos 1970. Seu uso constitui uma violação grave da Convenção sobre as Armas Químicas”, disse Seibert.

“Berlim solicitou à Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq) a análise das provas do caso Navalny”, afirmou Seibert.

A Opaq “extraiu amostras de Navalny e tomou as medidas necessárias para as análises nos laboratórios de referência da organização”, destacou o porta-voz alemão.

“Reiteramos o pedido para que a Rússia apresente explicações sobre o que aconteceu”, insistiu.

Combinar com os russos

Moscou pediu a Berlim que entregue as informações sobre o estado de saúde do opositor russo, especialmente as análises do laboratório alemão que identificaram uma substância do tipo novichok.

De acordo com as autoridades russas, as análises feitas durante a internação de emergência de Navalny em Omsk, na Sibéria, não revelaram a existência de nenhuma substância tóxica no organismo do ativista.

FONTE: Informações | g1.globo.com

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password