Santa Casa realiza captação múltipla de órgãos 

Procedimento incluiu doação de córneas, rins e fígado.

Transformar a perda de uma família em esperança de outras. Esta é a missão da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) da Santa Casa de Votuporanga, que se mobilizou para fazer a primeira captação múltipla de órgãos deste ano nesta terça-feira (9/4).

Com sentimento de amor ao próximo e graças ao sim de uma família que perdeu um ente querido, foram doados dois rins, um fígado e duas córneas de um paciente que teve diagnóstico de morte encefálica.

A morte encefálica é quando o cérebro para de funcionar de modo irreversível. “O diálogo entre os profissionais e os familiares é realizado de forma cuidadosa e humanizada, respeitando o momento de dor pela perda do ente querido. Conversamos sobre a possibilidade da captação dos órgãos e eles têm o direito de aceitar ou não. Então, se desejamos ser doadores temos que falar com nossa família que somos a favor do procedimento”, explicou a coordenadora de enfermagem da CIHDOTT, Kelly Almeida.

A partir da autorização, uma força-tarefa se iniciou com a equipe multidisciplinar que notificou a Central de Transplantes e articulou a operação. Para o processo acontecer, foi fundamental a colaboração e apoio das equipes de Emergência, Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Centro Cirúrgico e administração do Hospital, além do trabalho de todos da equipe da CIHDOTT. “Participaram cirurgiões, clínicos, enfermagem, serviço social para que essa captação múltipla tivesse êxito. Mas nada disso seria possível se não fosse a decisão da família, que em um momento de dor fez esse ato nobre”, complementou.

O serviço existe desde 2012 e já realizou 474 procedimentos (entre córneas e múltiplos órgãos), sendo que 31 somente neste ano. “Os critérios para doação de órgãos são bastante rigorosos e específicos, o Hospital precisa seguir normas/protocolos estabelecidos e as etapas necessárias para a efetivação do processo. Mesmo assim, conseguimos realizar captações graças ao trabalho de conscientização sobre a importância do diálogo, que é o diferencial para o aumento dos procedimentos”, disse a enfermeira.

O ato de doar órgãos é fundamental para salvar vidas de pacientes que estão na fila e vivem com restrições por conta das doenças. “É a esperança de muitos para recuperação da qualidade de vida. Nossa satisfação com cada captação é grande, pois em meio a toda burocracia existente, logística, há equipes que não medem esforços para estas ações. Mas nada disso seria possível se não fosse esse compromisso e a solidariedade das famílias”, destacou o provedor da Santa Casa, Luiz Fernando Góes Liévana.

Sobre a Comissão

A Comissão está vinculada à Equipe da OPO-SJRP (Organização de Procura de Órgãos do Hospital de Base) que promove a ligação com a rede Nacional de Transplantes. O serviço da CIHDOTT oferece a chance de doar os órgãos e multiplicar o gesto, colaborando no ato da doação e também insere o Hospital no sistema nacional de transplante.

A CIHDOTT é formada pelos enfermeiros Bruno Henrique Chiqueto, Jéssica Eusebio Tonin Sakamoto, Vanessa Benacci da Silva; técnico de Enfermagem, Wilson Luis Poloni, a coordenadora de enfermagem Kelly Roberta Trindade Almeida e os médicos Dra. Ligia Maria Duarte Tellis; Dra. Natalia Acquaroni Gondim; Dr. Luiz Augusto Antunes Glover; e Dr. Wagner Moneda Telini. 

0 Comentários

Deixe um Comentário

treze − 5 =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password