Primos presos por decapitar homem e gravar vídeo diziam ser ‘matadores’ e mostraram frieza, diz delegado

Corpo da vítima foi encontrado com a barriga aberta em Planalto/SP; suspeitos podem responder por homicídio qualificado. Vídeo mostra os dois cantando dentro do carro após crime.

Os primos de 21 e 25 anos que foram presos suspeitos de amarrar, assassinar e decapitar um homem na área rural de Planalto/SP alegavam ser matadores para outros moradores e mostraram frieza ao falar sobre o crime durante depoimento à Polícia Civil, segundo informou ao G1 o delegado responsável pelo caso, Gustavo Haddad Xavier.

O corpo da vítima foi encontrado na manhã de segunda-feira (20). Ela também estava com a barriga aberta. A prisão dos jovens foi feita no município de Piacatu/SP, cidade a 114 quilômetros de Planalto, horas depois do corpo ser localizado.

Os jovens gravaram um vídeo do crime para exibir para outras pessoas. Eles também aparecem cantando em uma gravação feita depois do assassinato.

De acordo com o delegado, os suspeitos se mudaram do Nordeste para o município há quatro meses. Ambos estavam morando e trabalhando em uma propriedade rural.

“Testemunhas disseram para nós que os dois só sabiam falar sobre morte, dizer que eram matadores, que tinham assassinado não sei quantas vítimas na Bahia. Eles também mostraram o vídeo decapitando a vítima, perguntaram a opinião delas e pediram para as pessoas darem nota para ação”, afirma Gustavo.

A Polícia Militar encontrou o corpo do homem depois de os moradores do município verem o vídeo do crime exibido pelos próprios suspeitos e ligarem para a corporação. Os primos foram para Piacatu logo depois do assassinato.

“A pessoa ficou apavorada, achou o corpo e ligou para a polícia. Os dois se mudaram para Piacatu não para fugir da polícia, mas porque a proprietária não estava contente com o serviço e tinha mandado os dois embora. Ela disse que eles só arrumavam rolo e problemas. Não conseguimos apurar se eles têm passagem, mas se tiverem, seria no Nordeste”, diz o delegado responsável pelo caso.

Com ajuda de policiais civis de São José do Rio Preto/SP e Araçatuba/SP, a Polícia Civil conseguiu apurar o local em que os dois estavam e conseguiu realizar a prisão. Ambos foram levados para a carceragem da Delegacia de Investigações Gerais para prestarem depoimento à polícia. Eles tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça, continuarão à disposição da Justiça e podem responder por homicídio qualificado.

Motivação

Ao G1, o delegado também afirmou que os suspeitos confessaram o crime, mas provavelmente mentiram sobre a motivação ao alegar que foram agredidos pelo homem e revidaram.

“Eles afirmaram que o homem estava passando pela propriedade havia três dias, bateu na casa deles e mostrou um punhal, dizendo que tinha três homicídios. Eles dizem que a vítima foi para cima deles e eles deram uma paulada na cabeça dela. Depois, eles amarraram as mãos e os pés dela, a arrastaram para o matagal e a mataram. Em seguida, a decapitaram e fizeram o vídeo”, diz Gustavo.

Os suspeitos disseram à polícia que decapitaram o homem, cortaram a barriga dele e fizeram o vídeo porque estavam nervosos. Contudo, a polícia também não acredita na versão. A cabeça da vítima foi encontrada ao lado do cadáver.

“Pelo vídeo, fica evidente que eles estavam comemorando a morte do homem. O IML não conseguiu identificar o corpo dele, mas vamos pesquisar boletins de desaparecimento e continuar investigando”, afirma o delegado.

FONTE: Informações | g1.globo.com

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password