Prefeitura reforça ações de combate ao Aedes Aegypti durante o período de chuvas

No verão, período em que há maior incidência de chuvas e calor intenso, a chance de proliferação do mosquito é ainda maior; Secretaria da Saúde alerta a população a fazer sua parte.

O verão é o período caracterizado pela combinação de chuva, umidade e calor intenso, o que torna o ambiente ideal para a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. Tais condições climáticas são experimentadas vigorosamente no cotidiano da região Noroeste Paulista, o que reforça o alerta aos moradores em tomar todas as medidas de controle dentro de seus domicílios.

Causador de doenças graves como Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela, o mosquito precisa ter seus criadouros eliminados a fim de se combater eficientemente sua proliferação. Embora o Município conte com a importante participação dos agentes comunitários de saúde e de endemias para o combate ao Aedes, a redução do número de casos dessas doenças só será efetiva a partir da ação dos próprios moradores.

Para a Secretária Municipal da Saúde, Márcia Reina, só o conjunto de esforços preventivos entre a população e o Poder Público, por meio dos agentes comunitários de saúde e de endemias, é capaz de reduzir os riscos do surgimento de novos casos. “- A prevenção deve ser mantida, mesmo que os números de registros dessas doenças ainda não estejam alarmantes. Enquanto agirmos de modo preventivo, a tendência é de que esses casos diminuam ano a ano”.

No trabalho de controle ao Aedes Aegypti, a Secretaria Municipal de Saúde, por intermédio do Secez (Setor de Controle de Endemias e Zoonoses), realiza rotineiramente visitas nas casas, como também, arrastões, bloqueios, pulverizações, eliminação de criadouros, orientações aos moradores e trabalho de educação em saúde nas escolas, indústrias, clubes de serviços, igrejas, entre outros.

As pessoas devem redobrar os cuidados em suas residências, verificando o armazenamento de água parada, e os recipientes que possam acumular água e virar criadouros do mosquito.

Portanto, o Setor orienta à população a manter os quintais limpos, eliminando possíveis criadouros como garrafas, sacolas plásticas, entre muitos outros recipientes que possam acumular água da chuva. É igualmente importante lavar os bebedouros dos animais com água, bucha e sabão; limpar calhas, utilizar produtos (detergente, sabão em pó) nos ralos internos e externos, a fim de se evitar a proliferação do vetor.

Recomendações

Ao sentir sintomas como coceira no corpo, dores nas articulações, corpo e de cabeça; cansaço físico e mental; vermelhidão, sensibilidade nos olhos, náuseas, vômitos, tonturas, perda de apetite, febre baixa ou de início súbito, procure a UPA – 24 horas (Unidade de Pronto Atendimento) ou Hospital do Pozzobon “Fortunata Germano” para atendimento médico necessário.

Números

Até o momento, Votuporanga registra seis casos positivos de Dengue. Nenhum caso de Zika, Chikungunya e Febre Amarela foi contabilizado. Embora seja considerado baixo o número de pessoas que tiveram quaisquer uma das doenças transmitidas pelo Aedes até o momento, a população deve estar atenta aos possíveis criadouros do mosquito.

0 Comentários

Deixe um Comentário

um × dois =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password