Votuporanga terá CAPS Infantil para tratamento de crianças e adolescentes com transtornos mentais

Órgão irá atender crianças e adolescentes com transtornos mentais graves e persistentes e os que fazem uso de álcool e outras drogas

O prefeito Jorge Seba e a secretária municipal da Saúde, Ivonete Félix, se reuniram com mães do GAV – Grupo de Autismo de Votuporanga para anunciar a conquista de um CAPS i (Centro de Atenção Psicossocial Infantil) para o município. O projeto já foi aprovado pelo Governo do Estado, Ministério da Saúde e foi publicado em Diário Oficial.

O CAPS i atende crianças e adolescentes com transtornos mentais graves e persistentes e os que fazem uso de álcool e outras drogas. Em Votuporanga, cerca de 200 crianças e adolescentes devem ser beneficiados com a unidade de atendimento especializado. Atualmente, esse público recebe acompanhamento psiquiátrico ou psicológico através do Ambulatório de Saúde Mental.

A conquista atende ao programa de governo do prefeito Jorge Seba. “Desde o início, quando discutimos as ações do nosso programa de governo, adotamos essa como uma das metas na área da saúde. Nos reunimos com diversas mães de crianças com autismo e outros transtornos e entendemos que o Poder Público precisava fazer mais, e estamos em busca dessa melhoria constante nos serviços prestados à nossa população.”

Segundo o coordenador da rede de Saúde Mental no município, Reinaldo Antônio de Carvalho, o órgão representa um grande avanço no atendimento de crianças e adolescentes com transtornos mentais. “O tratamento adequado é um direito dos portadores de transtornos mentais. No CAPS i teremos condições de realizar acompanhamento com crianças e adolescentes que apresentarem quadros de depressão, hiperatividade, autismo, transtorno obsessivo compulsivo, entre outros”.

A unidade terá equipe especializada composta por médico psiquiatra, psicólogo, assistente social, terapeuta ocupacional, psicopedagogo, fonoaudiólogo, educador físico e profissionais de nível médio. Os atendimentos serão realizados em grupo e individuais.

Para Liliane Lazarini, mãe de uma criança autista com 4 anos, a conquista de uma unidade como o CAPS i é uma grande vitória. “Muitas pessoas desconhecem o transtorno do espectro autista (TEA) e todas as particularidades que essa condição exige. Embora algumas pessoas com TEA possam viver de forma independente, outras necessitam de atenção e apoio constantes ao longo da vida e as intervenções precisam iniciar desde a primeira infância. Para mim, como mãe de uma criança nessas condições, a conquista do CAPS i para nossa cidade é um marco revolucionário, pois vai possibilitar maior assistência do poder público à essas pessoas que precisam muito. A maioria das famílias de Votuporanga e região não dispõe de um plano de saúde para prover tais atendimentos. Meu coração se enche de alegria e esperança de um futuro melhor para todas as mães que, como eu, lutam para que seus filhos recebam o tratamento que necessitam para desenvolver ao máximo sua capacidade e autonomia, dentro de cada realidade.”.

Os vereadores Léo Chandelly Protetor e professor Djalma Nogueira participaram do lançamento da clínica e buscam recursos em Brasília para a montagem da unidade. Os vereadores trabalham para a criação desta clínica desde o início deste ano.

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password