Veterinário orienta sobre doenças e cuidados com os pets no frio

Segundo médico veterinário, animais ficam mais sensíveis com a queda de temperatura e podem contrair gripes, resfriados, doenças pulmonares e piora no quadro de artrose.

Com as quedas nas temperaturas, os pets ficam mais sensíveis e podem contrair gripes, resfriados, doenças pulmonares e piora no quadro de artrose.

Tosse seca e contínua, falta de apetite e tremores são alguns dos sintomas dos animais domésticos doentes em épocas frias. Os pets estão sujeitos a contraírem inúmeras doenças independente do clima, mas no frio também ficam suscetíveis à “tosse dos canis”, cinomose e inflamação nos ouvidos.

“É necessário estar atento aos sinais que o próprio animal demonstra dentro de casa. Encolhimento, tremores e procurar lugares mais quentes são sinais de que o animalzinho possa estar com algum tipo de problema”, afirma o médico veterinário Lucas Somaglia Albino De Matteis, de Itapetininga/SP.

Na gripe canina, os sintomas incluem tosse, espirros, secreções, engasgos e vômitos com presença de espuma.

“Nos humanos, o que é chamado de gripe é causado por um vírus conhecido como influenza. Gatos também têm como principal agente causador da gripe um vírus, o herpesvírus. Por isso felinos podem ter sintomas semelhantes aos nossos. Mas no caso dos cães, o que chamamos de gripe geralmente é causado por uma bactéria, conhecida como ‘Bordetella Bronchiseptica’. Diversos agentes infecciosos diferentes podem causar sintomas de gripes nos animais e nos humanos. Vírus, fungos e bactérias, por exemplo”, explica.

Ainda segundo o veterinário, em caso de suspeita de doenças nos pets, a recomendação é procurar um especialista. Se uma gripe não for tratada, o sistema imune do animal enfraquece é facilita a contração de outras doenças.

Durante o frio, também há registros de cinomose nos pets, que pode ser transmitida principalmente pelo ar e pelo contato direto com secreções do animal, de acordo com Lucas.

“Se instala no corpo do animal principalmente pelo sistema respiratório, gerando sintomas parecidos com a gripe, e depois começa a atacar o sistema nervoso progressivamente. É uma enfermidade gravíssima, que muitas vezes leva o animal a óbito, mesmo com tratamento adequado.”

A única forma de prevenção é com a vacina polivalente, que deve ser aplicada em três doses iniciais quando filhote e, depois, repetir uma dose por ano durante toda a vida do cão.

Já as doenças relacionadas às articulações são mais comuns em animais idosos e nas épocas mais frias a sensação de dor é intensificada.

Confira os principais cuidados com os pets no inverno:

  • Para cães que dormem na área externa da casa, casinhas apropriadas com cobertores e cama, são fundamentais.
  • Conferir a carteirinha de vacinação dos bichinhos e sempre checar se ela está em dia. A vacinação deve ser feita anualmente e não somente quando os pets são filhotes.
  • Manter cães idosos e filhotes sempre aquecidos, pois estes, têm maior facilidade para perderem a temperatura corporal.
  • Observar o nível de ingestão de água e comida feita pelo animal e oferecer alimentos ricos em água, tanto aos caninos, quanto aos felinos.
  • Diminuir a frequência de banho e tosa durante épocas mais frias. O pelo é o principal protetor natural dos bichos.

FONTE: Informações | g1.globo.com / Lucas Somaglia Albino De Matteis

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password