UTI Neonatal: melhor assistência para os recém-nascidos 

Capacitações em Campinas discutiram temas como ventilação protetora, projeto Coala, uso do cateter de alto fluxo e demonstraram que o atendimento de Votuporanga é referência.

A Santa Casa de Votuporanga se preocupa com assistência de terapia intensiva neonatal. A equipe busca novas metodologias constantemente, a fim de conquistar mais resultados nos atendimentos, promovendo ainda mais qualidade de vida. 

Projetos implantados na Instituição foram abordados em congressos recentemente. Na VIII Jornada de Neonatologia e VII Encontro de Enfermagem Neonatal do Caism/Unicamp, a equipe da UTI Neonatal pode constatar que as ações desenvolvidas no Hospital acontecem similarmente em grandes centros. 

O tema da capacitação foi: “Desafios no Suporte Ventilatório do Recém-Nascido Pré-Termo”. Participaram da qualificação as fisioterapeutas da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do Hospital: Camila Chiaparini Furlan (coordenadora do serviço), Renata S. C. Bortolozo e Camila S. Bottura (Supervisora de Enfermagem). 

Foram abordados os seguintes temas: Ventilação Protetora, CPAP (Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas), Extubação Não Planejada, Pneumonia Associada à Ventilação, Uso do Cateter de Alto Fluxo e Projeto Coala (Controlando Oxigênio Alvo Ativamente). 

A prematuridade e o desconforto respiratório são os principais motivos de internação de neonatos nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatal. Com o intuito de evitar riscos, faz-se necessário um cuidado especializado e a adequada escolha da modalidade de assistência ventilatória que será prestada. “Para a assistência a Síndrome do Desconforto Respiratório (SDR) por anos, a Ventilação Mecânica foi o método de primeira escolha, pois se buscava diminuir o esforço respiratório causado pela doença. Atualmente grandes centros de assistência no mundo todo, baseado em meta análises, optam pela Não Invasiva e a CPAP. Utilizamos estes métodos desde a sala de parto de forma precoce, reduzindo a necessidade de Ventilação Mecânica, melhorando a oxigenação, tendo efeito preventivo de apnéia e possibilitando a oferta de oxigênio mais fidedigna”, contou Camila. 

Ela enalteceu ainda que outro ponto importante da Jornada foi contar com a presença de idealizadores do Portal de Boas Práticas – Fiocruz, em especial o Dr. Guilherme Sant’anna, médico neonatologista da McGill, no Canadá, que novamente discorreu sobre o Projeto Coala. “Dr. Guilherme enfatizou a importância do uso controlado de oxigênio, afim de evitar consequências danosas ao recém-nascido em qualquer momento do período neonatal.  Este projeto também foi implementado pela equipe multidisciplinar da UTI Neonatal da Santa Casa, devidamente cadastrado na Fiocruz e coordenado pela equipe de fisioterapia desde novembro de 2018, com ótimos resultados. Saímos dos cursos com plena convicção de que estamos no caminho certo, pois, um dos maiores prêmios que você pode receber no seu trabalho é a consciência de que está fazendo o seu melhor!”, finalizou a coordenadora de fisioterapia. 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password