TCE identifica irregularidades no armazenamento de remédios em 8 municípios na região 

Situação foi constatada durante operação deflagrada pelo TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado). Entre os municípios fiscalizados estão Meridiano/SP, Ariranha/SP, Palmares/SP, Urupês/SP, Paulo de Faria/SP, Jales/SP, Irapuã/SP e Santa Adélia/SP. 

Uma operação do TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) identificou irregularidades no armazenamento e fornecimento de remédios em farmácias municipais de oito cidades da região noroeste paulista. 

Em Jales/SP, os fiscais encontraram caixas de papelão tapando as janelas, com o objetivo de impedir a incidência de sol diretamente nos medicamentos, que estavam acondicionados irregularmente. A situação também foi encontrada em Irapuã/SP. A imprensa entrou em contato com as prefeituras das cidades, mas não obteve resposta. 

Em Meridiano/SP, os fiscais localizaram medicamentos de alto custo vencidos que deveriam ser descartados, mas não foram. Em nota, a prefeitura informou que os medicamentos encontrados eram para tratamento de H1N1, mas não foram repassados para a população, já que a cidade não tem casos positivos da doença. 

Em Urupês/SP, medicamentos também estavam armazenados em caixas terciárias e remédios controlados foram encontrados em locais desprovidos de segurança. A imprensa entrou em contato com a prefeitura e ainda aguarda retorno. 

Enquanto em Santa Adélia/SP, itens pessoais misturados ao estoque foram encontrados em uma farmácia municipal da cidade. O Executivo foi procurado, mas não quis se posicionar sobre o caso. 

Em Palmares Paulista/SP e Paulo de Faria/SP, os fiscais do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo encontraram medicamentos armazenados de maneira irregular. A imprensa entrou em contato com ambas cidades, mas ainda não obteve retorno. 

Já em Ariranha/SP, fiações expostas e rachaduras apontaram irregularidades no prédio onde fica a farmácia, além de armazenamento irregular de medicamentos. Em nota, a prefeitura informou que já fez a compra de novas caixas para armazenar os remédios e vai providenciar os reparos nas instalações e paredes da farmácia em um prazo de 10 dias. 

De acordo com o TCE, todos os dados coletados foram apresentados e os relatórios serão encaminhados aos conselheiros relatores de processos ligados aos órgãos fiscalizados, que decidirão quais as medidas cabíveis podem ser tomadas. 

FONTE: Informações | TV TEM / G1 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password