Sistema de hidrantes falhou durante combate às chamas no camelódromo de Rio Preto, dizem bombeiros

Incêndio começou no último andar da Estação Rodoviária, por volta das 23h15 de sábado (23), e se alastrou rapidamente, destruindo mais de 100 lojas populares.

As equipes do Corpo de Bombeiros acionadas para controlar o incêndio que atingiu o camelódromo, conhecido como Shopping Azul, localizado no último andar da Estação Rodoviária de São José do Rio Preto (SP), não conseguiram usar o sistema de hidrantes, segundo informou ao G1 o tenente Vitor Fogolin. A prefeitura disse que “não recebeu nenhum parecer dos bombeiros”.

“Quando a gente chegou, já tinha uma linha suspensa. Porém, não estava funcionando. Não sabemos se foi uma tubulação que foi danificada devido à caloria, mas não utilizamos as redes de hidrantes”, afirmou o bombeiro.

As chamas começaram por volta das 23h15 de sábado (23). Elas se alastraram rapidamente, destruindo lojas populares de calçados, roupas, acessórios para aparelhos celulares, alimentação e calçados. Não houve registro de feridos.

“Não houve registro de mortes ou feridos. O Shopping Azul foi inteiro queimado. Os boxes foram destruídos. Ainda não sabemos as causas, mas elas serão investigadas pela Polícia Civil”, contou o tenente.

Embora os hidrantes não tenham funcionado, o tenente do Corpo de Bombeiros contou que as equipes usaram outros recursos possíveis.

“O Corpo de Bombeiros tem uma norma de segurança contra incêndio, que prevê que cada edificação tem que ter capacidade para eliminar seus riscos. Ou seja, ela precisa estar regularizada. A questão é que o Corpo de Bombeiros também vai para a ocorrência preparado para atender qualquer situação. Então, apesar de não termos utilizado o sistema de hidrantes, nossa equipe sabia como proceder”, afirmou.

Foram necessárias de quatro a cinco horas para controlar as chamas. Contudo, equipes dos bombeiros continuaram trabalhando até domingo (24), pois ainda havia fumaça saindo de materiais inflamáveis, como plásticos e tecidos.

“Existem três pavimentos. O incêndio gerou dano somente na parte do pavimento superior, onde ficavam os boxes”, afirmou Vitor Fogolin.

Para combater as chamas, os bombeiros contaram com ajuda de caminhões-pipa do Serviço Municipal Autonômo de Água e Esgoto (Semae) e de uma usina da região. A Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal (GCM) também deram apoio à ocorrência.

“Assim que eles liberarem, a Defesa Civil e a Polícia Científica vão adentrar ao local para poder verificar questões de segurança e se há condições de habitação ainda. A perícia vai tentar levantar as causas do incêndio”, disse.

Por conta do incêndio, a administração da Empresa Municipal de Urbanismo (Emurb) informou, na manhã deste domingo (24), que houve mudança no embarque de passageiros.

Segundo o presidente da Emurb, Rodrigo Juliano, o embarque de ônibus intermunicipais e suburbanos está sendo feito na praça Paul Harris. Equipes da Guarda Civil e Defesa Civil orientam os passageiros.

As ruas vizinhas ao Shopping Azul foram interditadas para veículos, como a Pedro Amaral e Bernardino de Campos.

Medicamentos

De acordo com a prefeitura, a Farmácia Municipal que funciona no prédio da Estação Rodoviária, e que distribui os medicamentos básicos e de ordem judicial à população, será interditada devido ao incêndio.

O estoque de remédios distribuídos via ordem judicial ainda está no local e só será retirado após a liberação do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil.

A Secretaria de Saúde já está levantando o prontuário de cada paciente que recebe através de ordem judicial para realizar um novo agendamento ou a entrega destes medicamentos, até que um novo local seja definido.

Enquanto isso, aos moradores podem retirar seus medicamentos da atenção básica em qualquer uma das 28 Unidades Básicas de Saúde que atendem em vários bairros da cidade. A lista com o endereço das unidades está disponível no site da prefeitura.

Em nota, o prefeito de Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), disse que está acompanhando o incêndio.

“A partir desta segunda-feira vou orientar que os técnicos da prefeitura, em especial da Procuradoria-geral do Municípios e as secretarias da Fazenda, Desenvolvimento Econômico e Assistência Social encontrem saídas para acolher os comerciantes que foram terrivelmente atingidos por este incêndio”, escreveu.

G1

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password