Secretaria identifica estado de epidemia de Dengue em Votuporanga 

A situação foi definida durante reunião entre representantes da Secretaria Municipal da Saúde e Secretaria do Estado de São Paulo. 

Representantes da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo estiveram em Votuporanga, na última semana, para tratar sobre as ações relacionadas à Dengue. Diversos municípios do Estado estão registrando aumento no número de casos e isso vem preocupando as autoridades de Saúde. Durante a reunião, foram realizados cálculos que definiram que Votuporanga está em estado de epidemia. Neste ano, foram registrados 922 casos positivos de dengue e 2.618 notificações da doença no Município. Além disso, um paciente masculino, de 71 anos, com comorbidades, veio a óbito com a causa base dengue. 

A Secretaria Municipal da Saúde não registrou casos positivos de Chikungunya e Zika Vírus, que são doenças transmitidas também por meio do mosquito Aedes Aegypti. 

Ações de Combate 

Desde o início do ano, quando o número de casos da doença começou a aumentar, a Secretaria Municipal da Saúde deu início ao Plano de Contingência para combate à Dengue. Além do trabalho de rotina realizado normalmente durante a semana pelos agentes comunitários de saúde e de endemias, a Secretaria Municipal da Saúde realiza também o Mutirão contra o mosquito transmissor das arboviroses aos sábados, das 7h às 13h. A força-tarefa é um reforço no combate ao Aedes Aegypti. No entanto, para combater a proliferação de criadouros do mosquito e o aumento no número de casos da Dengue, a pasta adverte sobre o papel fundamental da população na manutenção dessas ações de combate. 

As equipes do Secez (Setor de Controle de Endemias e Zoonoses), durante todo o ano, recolhem criadouros, orientam munícipes prevenindo novas infecções, percorrem as escolas com trabalhos de prevenção. No trabalho de controle ao Aedes Aegypti, a Secretaria Municipal de Saúde, também por intermédio do Secez, realiza rotineiramente visitas nas casas, arrastões, bloqueios, pulverizações, eliminação de criadouros, orientações aos moradores e trabalho de educação em saúde nas escolas, indústrias, clubes de serviços, igrejas, entre outros. 

As pessoas devem manter os cuidados, permanentemente, em suas residências, verificando o armazenamento de água parada e os recipientes que possam acumular água e virar criadouros do mosquito. Portanto, o Setor orienta à população a manter os quintais limpos, eliminando garrafas, sacolas plásticas, entre muitos outros recipientes que possam acumular água da chuva. É igualmente importante lavar os bebedouros dos animais com água, bucha e sabão; limpar calhas, utilizar produtos (detergente, sabão em pó) nos ralos internos e externos, a fim de se evitar a proliferação do vetor. 

A Secretaria Municipal da Saúde está em articulação permanentemente com as Vigilâncias Ambiental e Epidemiológica e, estas, com as Unidades Básicas de Saúde, unidades de Pronto Atendimento e hospitais buscando os casos suspeitos e monitorando o tratamento e evolução dos mesmos.  

Os munícipes devem procurar a unidade de saúde mais próxima ou unidades de pronto atendimento, imediatamente, após os primeiros sinais e sintomas, que são febre, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, manchas e erupções na pele, cansaço, moleza e dor no corpo, dores nos ossos e articulações, náuseas e vômitos, tontura e perda de apetite e paladar. 

0 Comentários

Deixe um Comentário

cinco + quinze =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password