Santa Casa realiza captação múltipla de órgãos

Hospital finalizou o ano com o serviço que captou dois rins, córneas, válvulas cardíacas e fígado.

Mais do que uma demonstração de amor ao próximo, a doação de órgãos é a única oportunidade de recomeço para pacientes à espera de um transplante. No meio de seu luto, uma família fez renascer a vida em muitas pessoas no final de 2019, fechando o ano com muita solidariedade e esperanças de dias melhores.

Os familiares autorizaram a captação de órgãos de uma vítima de morte encefálica e, com esta sábia decisão, começou uma corrida contra o tempo na Santa Casa de Votuporanga. A Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) valorizou essa oportunidade de possibilitar qualidade de vida e saúde para aqueles que aguardam há anos uma chance.

A partir da autorização, a Central de Transplantes foi notificada e articulou a operação. Para o processo acontecer, foi fundamental a colaboração e apoio das equipes de Emergência, Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Centro Cirúrgico, CIHDOTT e administração do Hospital, além do trabalho de todos da equipe da Comissão.

Foram captados dois rins, córneas, válvulas cardíacas e fígado. Esse ato de solidariedade da família irá beneficiar diretamente pacientes que estão na fila de espera para receber os órgãos para transplante. Somente no ano passado, foram 115 córneas, oito rins, três fígados e duas válvulas cardíacas.

O serviço existe desde 2012. Desde sua implantação, foram realizadas 553 captações, entre elas: 553 córneas; 16 rins; seis fígados; um coração e duas válvulas cardíacas.

De acordo com a coordenadora de Enfermagem da CIHDOTT, Kelly Almeida, o número de procedimentos realizados não depende do Hospital, mas, exclusivamente, do doador ao tomar a decisão ainda em vida e anunciá-la aos seus familiares. Atualmente, apenas parentes de primeiro e segundo graus podem autorizar o procedimento. “O Brasil tem índices muito baixo de doadores quando comparado a países da Europa. É importante que a pessoa expresse em vida seu desejo de ser doador de órgãos, para que a família possa juridicamente, efetivar a doação”, destacou.

O provedor da Santa Casa, Luiz Fernando Góes, enalteceu o gesto de solidariedade da família na doação. “Mesmo no momento difícil de uma perda, os familiares tiveram a nobreza de olhar em direção a outros seres humanos que sofrem na fila de espera por um transplante. Por isso, o Hospital está direcionado na qualificação dos profissionais para dar suporte para a captação de órgãos”, ressaltou.

Sobre a Comissão

 A Comissão está vinculada à Equipe da OPO-SJRP (Organização de Procura de Órgãos do Hospital de Base) que promove a ligação com a rede Nacional de Transplantes. O serviço da CIHDOTT oferece a chance de doar os órgãos e multiplicar o gesto, colaborando no ato da doação e também insere o Hospital no sistema nacional de transplante.

A CIHDOTT é formada pelos enfermeiros Bruno Henrique Chiquetto, Juliana de Faria Elizei, Vanessa de Oliveira Silva; técnico de Enfermagem Wilson Luis Poloni, a coordenadora de enfermagem Kelly Roberta Trindade Almeida e os médicos Dra. Ligia Maria Duarte Tellis; Dra. Natalia Acquaroni Gondim; Dr. Luiz Augusto Antunes Glover; e Dr. Wagner Moneda Telini.

0 Comentários

Deixe um Comentário

18 − 10 =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password