Santa Casa realiza captação de múltiplos órgãos

Rins e córneas foram retirados, beneficiando pacientes que aguardam na fila de transplantes; esta foi a quarta captação do ano

Um momento de grande dor se torna esperança para muitas pessoas que aguardam na fila de doação de órgãos. Todo esse complexo, delicado e tão importante gesto, além da conscientização da família do doador, necessita de um ágil respaldo médico e aporte tecnológico para garantir seu objetivo: salvar vidas!

Nesta quarta-feira (2/10), a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (CIHDOTT) da Santa Casa de Votuporanga realizou mais uma captação de múltiplos órgãos na Instituição. Este é o quarto procedimento do ano e foram retirados rins e córneas.

De acordo com a coordenadora de Enfermagem da CIHDOTT, Kelly Almeida, o número de retiradas de captações realizadas não depende do Hospital, mas, exclusivamente, do doador ao tomar a decisão ainda em vida e anunciá-la aos seus familiares. Atualmente, apenas parentes de primeiro e segundo graus podem autorizar o procedimento. “Trabalhamos arduamente, fazemos ações de conscientização mas é preciso que o candidato a doador expresse sua vontade. Que eles saibam sua vontade e respeitem a sua decisão. Esta família demonstrou toda sua solidariedade ao autorizar todo processo, salvando vidas”, disse.

Ela ressaltou o orgulho de participar desse processo de captação de órgãos. Para o procedimento acontecer, foi fundamental a colaboração e apoio das equipes de emergência, Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Centro Cirúrgico e administração do Hospital, além do trabalho de todos da equipe da Comissão. “Meus cumprimentos especiais à esta grande equipe que demonstra não apenas um conhecimento técnico elevado na área, mas um espírito de generosidade e compaixão ao próximo fazendo um trabalho tão importante e nobre” elogiou.

O ato de doar órgãos é fundamental para salvar vidas de pacientes que estão na fila e vivem com restrições por conta das doenças. “É a esperança de muitos para recuperação da qualidade de vida. Nossa satisfação com cada captação é grande, pois em meio a toda burocracia existente, logística, há equipes que não medem esforços para estas ações e as que atuam constantemente para manter as condições ideais do nosso sistema para estes procedimentos. Mas nada disso seria possível se não fosse esse compromisso e a solidariedade das famílias”, explicou a coordenadora.

O provedor da Santa Casa, Luiz Fernando Góes Liévana, disse que é gratificante realizar captações para salvar vidas e, ao mesmo tempo, desmistificar um assunto tão cercado pelo preconceito e a falta de informação. “É gratificante e ao mesmo tempo emocionante, pois vivenciamos a generosidade das famílias doadoras e até mesmo a alegria delas em saber que apesar da perda estarão transformando e dando esperança a vida de outras pessoas”, disse.

O serviço existe desde 2012. Desde sua implantação, foram realizadas 529 captações, entre elas: 529 córneas; 18 rins; 5 fígados; um coração e uma válvula cardíaca. Somente neste ano, foram 91 doações entre elas: 91 córneas; oito rins; dois fígados e uma válvula cardíaca.

Sobre a Comissão

A Comissão está vinculada à Equipe da OPO-SJRP (Organização de Procura de Órgãos do Hospital de Base) que promove a ligação com a rede Nacional de Transplantes. O serviço da CIHDOTT oferece a chance de doar os órgãos e multiplicar o gesto, colaborando no ato da doação e também insere o Hospital no sistema nacional de transplante.

A CIHDOTT é formada pelos enfermeiros Bruno Henrique Chiquetto, Vanessa de Oliveira Silva; técnico de Enfermagem, Wilson Luis Poloni, a coordenadora de enfermagem Kelly Roberta Trindade Almeida e os médicos Dra. Ligia Maria Duarte Tellis; Dra. Natalia Acquaroni Gondim; Dr. Luiz Augusto Antunes Glover; e Dr. Wagner Moneda Telini.

0 Comentários

Deixe um Comentário

dezenove − 6 =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password