Santa Casa implanta protocolo de AVC 

Consultor da companhia Boehringer Ingelheim esteve no Hospital para explicar sobre a iniciativa “Angels”. 

O AVC (Acidente Vascular Cerebral) mata uma pessoa a cada seis segundos no mundo e ainda é uma das maiores causas de incapacidade, com estimativa de 26 milhões de pacientes com sequelas em função da doença. É uma patologia em que o reconhecimento dos sintomas e socorro rápido contam muito para que hajam diagnóstico e tratamentos adequados. 

Após o retorno da neurologia em junho, a Santa Casa de Votuporanga buscou junto à companhia Boehringer Ingelheim e sua iniciativa “Angels” a inclusão no programa que tem como objetivo  aumentar o número de centros capacitados para tratamento do AVC, oferecendo aos hospitais ferramentas para oportunizar melhorias, suporte e treinamento adaptáveis a cada serviço. 

Alessandro Rômulo Alencar, consultor da companhia Boehringer Ingelheim, esteve na Instituição para falar sobre a ação. Durante reunião com as lideranças, explicou sobre a iniciativa. “O nosso objetivo é assistir hospitais que ainda não tem protocolo da doença e, aqueles que possuem, aprimorarem. Estamos em 99 países participantes, sendo em 3.184 instituições”, disse. 

Ele contou que estará na Santa Casa para fazer observações. “Iremos detalhar o que pode ser feito, visando melhorias. Neste momento, quero entender o Hospital, identificar os principais gargalos no atendimento e devolver junto aos líderes um plano de ação. Após isso, iniciaremos o treinamento”, complementou. 

O consultor afirmou que o protocolo irá abordar quatro fases: pré-hospitalar (envolvendo a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)), hiperaguda (performance de 60 minutos), tomada de decisão e tratamento de pacientes. 

Entre os resultados com o projeto estão: redução de sequelas, tempo de internação, taxa de infecção hospitalar, retorno para reabilitação, liberação de leitos e morte prematura. 

O médico neurologista, Dr. Vitor Roberto Pugliesi Marques, enalteceu a importância da consultoria. “Um dos fatores críticos nos pacientes que apresentam sinais e/ou sintomas de AVC é o tempo de atendimento. Quanto mais rápido, maiores as chances dele evoluir sem sequelas, ter um tempo menor de internação e depender menos de recursos diagnósticos e terapêuticos. É um passo muito importante da Santa Casa, na condição de atender os assistidos com alta performance”, destacou. 

O coordenador corporativo, Angelo Jabur Bimbato, enfatizou que o protocolo visa oferecer um atendimento ágil que, por meio do trabalho da equipe multiprofissional, busque a melhor evolução clínica do paciente, com menor tempo de internação, e propicie melhor qualidade de vida. “Este é o nosso intuito. A equipe se mantém em prontidão 24 horas por dia para imediato diagnóstico e tratamento. Não temos dúvidas de que esta iniciativa é mais uma das grandes conquistas de nosso Hospital, que preza pela excelência na assistência”, disse. 

A gerente assistencial, Alessandra Zanovelli, destacou que o trabalho é multidisciplinar. “Quanto antes for iniciada a reabilitação do paciente com AVC, melhor e mais rápida será sua recuperação e, consequentemente, menor o tempo de internação. Queremos envolver muitos profissionais na sua reabilitação, pelo treinamento e pela adaptação a atividades da vida diária, na recuperação da fala e, principalmente, na detecção e no tratamento da disfagia (dificuldade de deglutir), responsável pelo risco de aspiração e pneumonia”, finalizou. 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password