Santa Casa discute sobre alta responsável 

Equipe multidisciplinar recebeu Secretaria de Saúde de Votuporanga para alinhar estratégias de continuidade do cuidado.

A Santa Casa de Votuporanga realizou encontro de alta responsável com o município de Votuporanga. O evento ocorreu no Espaço Unifev/Saúde envolveu profissionais responsáveis pela alta, com objetivo de reavaliar o processo de saída do Hospital e retorno para casa dos pacientes com necessidades de continuidade de cuidados.

Após reunir com os municípios da região, o Hospital discutiu casos com a Secretaria de Votuporanga. A coordenadora de Fisioterapia da Instituição, Fernanda Menezes, explicou os processos para pacientes considerados complexos. “Analisamos de acordo com critérios como procedimentos clínicos necessários, frequência de visitas das equipes e outras variantes. São pacientes complexos os que estão em processo crônico reagudizados (cardiopatias, imunodeficiência adquirida, neoplasia, demência avançada) pós-cirúrgico, tratamento de grandes úlceras, pneumonias, doenças vasculares e neurológicas, cuidados paliativos, ventilação mecânica não-invasiva e antibioticoterapia domiciliar”, afirmou.

Fernanda destacou que o cuidado continuado consiste em viabilizar integridade da assistência, enfrentar riscos e agravos e ofertar sequência de atendimentos em promoção, prevenção, tratamento e reabilitação.

A alta responsável engloba o conjunto dos atores para o trabalho em rede e para a discussão de projetos terapêuticos, a organização de fluxos, referências e processos de trabalho nas equipes, serviços e redes de atenção.

Quando um paciente internado vai receber alta, uma operação é iniciada. “Existe o envolvimento da equipe multidisciplinar, de Enfermagem, Nutrição, Serviço Social, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Farmácia, Psicologia, Grupo de Curativo, Núcleo Interno de Regulação e médicos. Após constatar as necessidades, entramos em contato com o município de origem, para que monte uma rede de atendimento que supra a demanda do assistido”, contou a equipe do projeto.

De acordo com a equipe, tudo deve estar em consonância entre Hospital e as Secretarias de Saúde. “Elas recebem protocolo com histórico do atendimento e tratamento, com todas as informações necessárias para que este tipo de paciente seja bem cuidado no seu município de origem após a alta hospitalar”, complementou.

A gerente assistencial, Alessandra Zanovelli, enfatizou a importância do encontro. “A alta responsável consiste no processo de planejamento e transferência do cuidado de uma unidade de saúde para outra, de modo a propiciar a continuidade da assistência por meio de orientação de usuários e familiares/cuidadores. Ao reunir com os municípios, este diálogo beneficia ainda mais os pacientes, que receberão tratamento adequado”, disse.

Por sua vez, o provedor da Santa Casa, Luiz Fernando Góes Liévana,  enalteceu a iniciativa. “A humanização faz a diferença nos atendimentos, promovendo uma aproximação do profissional e do paciente e impactando positivamente na sua saúde. Investimos nesta política, com foco na melhoria da qualidade dos serviços prestados”, finalizou.

0 Comentários

Deixe um Comentário

4 × 2 =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password