Prefeitura está autorizada a comprar área para desfavelamento

Cerca de 180 casas serão construídas na área que possui 77 mil m² localizada na região sul, ao final da Colônia da Fepasa

 

Mais um passo foi dado na concretização do programa de desfavelamento do Matarazzo e Esmeralda. Após aprovação da Lei 6698/2021, na sessão da Câmara Municipal desta segunda-feira (19/4), que autoriza a compra da área no valor de R$ 1,540 milhão, a Prefeitura segue, agora, para os trâmites finais da aquisição do terreno. Serão construídas cerca de 180 casas na área que possui 77 mil m² localizada na região sul, ao final da Colônia da Fepasa e ao lado do Jardim Vivendas.

O prefeito Jorge Seba, acompanhado do vice Cabo Valter, visitou novamente a área na manhã desta terça-feira. “A área é um local alto, com uma expansão de urbanismo apropriada. Possui rede de água e esgoto nas proximidades e outros bairros ao redor. São condições que contribuem para o projeto urbanístico que a área requer”, disse Seba.

O problema se arrasta há 50 anos. “Desde os nossos primeiros dias de governo, apontamos como uma das prioridades principais, o desfavelamento. Não é possível seres humanos serem tratados diferente. Estamos caminhando em busca da tão sonhada casa própria para aquelas pessoas que moram em situações desiguais. Sabemos da responsabilidade social de todos nós, administradores públicos, para caminharmos, juntos, no sentido de sanar este problema. No nosso mandato, vamos olhar muito para o social, para as pessoas que mais precisam.”

Durante live realizada pelas redes sociais da Prefeitura no início deste mês, para anunciar a assinatura do convênio com a Secretaria de Estado da Habitação, a moradora Rita Gouvea falou sobre a importância da conquista. “Muitos dos nossos familiares morreram aguardando essa realização. Esperamos demais e agora só temos a agradecer”. Outro representante dos moradores que também participou do ato relatou: “moro lá há quase 30 anos, minha mãe morou há mais tempo e morreu com o sonho de ter sua casa própria. Abrimos diálogo com o prefeito e o vice-prefeito e entendemos que o desfavelamento era realmente prioridade”, disse Colorido. “Só temos a agradecer. Foram tantos sonhos frustrados, tantas reuniões, tanta burocracia. Quando o Seba veio conversar comigo, eu falei que iria cobrar e ele falou que não seria necessário, e realmente não foi. Antes de cobrarmos, ele já está mostrando o que está fazendo. Eu como representante dos moradores do Matarazzo, só tenho a agradecer”, disse Diego.

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password