Polícia investiga se morador de rua morto após ser queimado teve desavenças ou inimigos na Zona Leste de SP

Carlos Silva, de 39 anos, estava internado na UTI, mas morreu na manhã desta segunda (6). Polícia tenta identificar homem que aparece em vídeo ateando fogo na vítima que dormia sob marquise.

A Polícia Civil investiga se o morador de rua que morreu após ter sido queimado enquanto dormia teve desavenças ou algum inimigo que possa ter ateado fogo na vítima durante a madrugada de domingo (5) na Mooca, na Zona Leste de São Paulo.

Carlos Roberto Vieira da Silva, de 39 anos, chegou a ser internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal do Tatuapé, mas morreu na manhã desta segunda-feira (6). A polícia procura pistas que possam levar ao criminoso, que ainda não foi identificado ou preso.

Vídeo gravado por câmera de segurança mostra um homem usando roupas pretas, fazendo uma pequena fogueira perto de onde o morador dormia com sua carroça sob a marquise de um supermercado, na esquina das ruas Celso de Azevedo Marques com a Rua Etiópia.

Em seguida, as imagens mostram o homem jogar o que parece ser combustível, provocando uma explosão. Na sequência, ele foge. No local foi encontrado um galão de gasolina.

Duas pessoas que passavam pelo local em um carro param ao verem o homem em chamas. Outra pessoa também corre para ajudar a apagar o fogo do corpo do morador de rua.

Investigação

O caso foi registrado inicialmente como crime de lesão corporal no 56º Distrito Policial (DP), da Vila Alpina, mas será investigado pelo 18º DP, do Alto da Mooca, como homicídio.

O galão de gasolina foi apreendido e passará por perícia no Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Técnico-Científica.

A polícia está em busca de outras imagens que possam ajudar a esclarecer o caso.

Outro vídeo, este feito por moradores, mostra o momento que pessoas tentam apagar as chamas que atingiam a vítima. Carlos foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros com queimaduras de segundo e terceiro graus nas pernas, costas, tórax e rosto.

De acordo com o boletim de ocorrência, o morador não soube informar como sofreu as queimaduras, já que o incêndio foi iniciado enquanto ele estava dormindo perto da via, sob uma marquise em frente a um supermercado. As marcas na parede mostram que as chamas atingiram 4 metros de altura.

Vizinhos do supermercado ficaram indignados com o que aconteceu com o morador de rua.

“Tinha mais de um ano que ele estava morando debaixo da marquise. Ele vinha com a carroça, catava papelão, mas ele não mexia com ninguém”, disse o desenhista João Elieser Júnior. “O pessoal dava alguma coisa para ele comer. Coisa de bebida, droga, ninguém viu nada disso”.

“Ele trabalhava com uma outra pessoa que eu não sei identificar quem é. Ele disse que a família já tinha tentado levá-lo para outro lugar, mas ele queria continuar trabalhando para ganhar o dinheirinho dele”, disse uma vizinha que não se identificou.

FONTE: Informações | g1.globo.com

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password