Chefe do tráfico no RJ morre após o seu próprio fuzil explodir 

Estilhaços da arma perfuraram o pulmão e o abdômen do traficante. Aos policiais, o traficante disse que teve um “acidente de trabalho”. Ele estava internado desde quinta-feira (18). 

O traficante César Augusto de Araújo, de 30 anos, conhecido como “PQD”, morreu ontem (21), no Hospital Penitenciário do Rio de Janeiro. O criminoso, apontado como chefe do tráfico do Chapadão, foi ferido por estilhaços do seu próprio fuzil, que explodiu enquanto ele o manuseava. 

Os estilhaços da arma perfuraram o pulmão e o abdômen do traficante. Antes de ser preso e transferido para o hospital penitenciário, PQD estava em uma unidade particular em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. 

De acordo com o delegado Vinícius Domingos, a polícia recebeu a informação que um traficante teria dado entrada em um hospital na Baixada Fluminense e começou a investigar. 

No local, a polícia confirmou a informação de que o criminoso se feriu enquanto manuseava o próprio fuzil na quinta-feira (18). Ao ser questionado sobre o ferimento, PQD disse que havia tido um “acidente de trabalho”. 

César Augusto havia sido preso em 2015 numa operação do Bope (Batalhão de Operações Especiais) onde foram presos outros homens da mesma facção. 

Entre eles, um dos chefes do tráfico no Chapadão naquela época, conhecido como “Fu da Mineira”. Eles estavam escondidos em uma casa dentro da comunidade. Na época, foi apreendido com eles um fuzil calibre 50. 

Segundo a polícia, o traficante foi responsável pelos recentes ataques ao Morro do Cajueiro, em Madureira. A comunidade foi tomada por uma facção rival a de PQD, e ele queria retomar o território. 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página