Pacientes com Covid morrem à espera de leitos em hospitais em Catanduva

Município informou que todos os hospitais estão operando com mais de 100% de ocupação dos leitos de UTI destinados a pacientes com Covid-19.

Seis pacientes com Covid-19 morreram na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Catanduva (SP) à espera de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O município informou que todos os hospitais estão operando com mais de 100% de ocupação dos leitos intensivos destinados a pacientes com Covid-19, sendo:

À TV TEM, a UPA informou que todos os procedimentos de UTI necessários para os pacientes podem ser realizados na unidade, mas há casos que necessitam de atendimento especializado, que deve ser feito no hospital.

Em nota, o Governo do Estado de São Paulo informou que a demanda de transferências na Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde (Cross) registrou queda de 46% em comparação ao pico da segunda onda, sendo atualmente cerca de 700 pedidos por dia, contra 1,5 mil em abril de 2020.

Afirmou também que a demanda é descentralizada na rede, considerando que há regulações municipais ou regionais, com os respectivos serviços de referência para sua área de abrangência.

A Secretaria Estadual de Saúde ressaltou que a regulação depende da disponibilidade de leitos e de condição clínica adequada para que o paciente seja deslocado com segurança até o hospital de destino.

Na segunda-feira, uma reunião foi realizada entre os municípios da região de Catanduva para discutir ações de controle da pandemia.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado na segunda-feira (7), Catanduva contabiliza 13.975 casos confirmados do coronavírus desde o começo da pandemia, sendo que 12.977 pacientes recuperados e 457 óbitos.

Vacinação

Nesta terça-feira (8), grávidas e puérperas acima de 18 anos sem comorbidades começaram a ser vacinadas contra a Covid-19 em Catanduva.

Segundo a Secretaria de Saúde, é importante fazer o pré-cadastro no site Vacina Já e apresentar um documento com foto e CPF no momento da vacinação.

Além disso, gestantes devem apresentar um documento que comprove a gestação; já as puérperas devem levar Certidão de Nascimento da criança, comprovando o período de até 45 dias pós-parto.

A imunização está sendo realizada na Secretaria Municipal de Saúde, CRAS Bom Pastor e no “drive-thru” do Aeroporto.

G1

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password