Na BA: Vídeo mostra moradores fazendo churrasco com carne de baleia que morreu ao encalhar em praia; animal tinha 39 toneladas 

Baleia morreu há 4 dias, em Coutos, subúrbio de Salvador. Vigilância Sanitária alerta que consumo da carne do animal traz riscos de contaminação. 

Um vídeo divulgado me redes sociais mostram algumas pessoas fazendo um churrasco com a carne da baleia que morreu ao encalhar no bairro de Coutos, no subúrbio de Salvador/BA. O animal tinha 39 toneladas e morreu na manhã de sexta-feira (30).  

“Olha aqui que viagem. Carne de baleia. Tá ligado? Não passa [doença] nada”, diz um homem que aparece no vídeo fazendo o churrasco. 

Pescadores que trabalham na região contaram que, desde que a baleia morreu, muitas pessoas estiveram na praia para pegar a carne do animal e levar para casa. “Foi muita gente, foi uma novidade. Não [consumi] porque não sabemos o que aconteceu para ela [baleia] para aqui”, disse o pecador Luís. 

Durante entrevista para a imprensa, um dos moradores do bairro afirmou que a carne do animal parece com a de vaca. “Parece carne de vaca. Parece [o corte de] cruz machado. Quando a gente vê o animal se debatendo fica com pena do animal. Para pegar com consumo é difícil. Tinha muita gente”, disse um dos moradores. 

Uma outra moradora, que também pegou a carne da baleia, afirmou que usaria para alimentar os cachorros. “Peguei para cozinhar para o cachorro. Ninguém come aqui não. Deus é mais”, disse. 

Segundo Erivaldo Queiroz, fiscal da Vigilância Sanitária, as pessoas que consomem a carne correm o risco de contaminação por alguma bactéria. “É um risco grande. Antes de morrer, a baleia já vinha agonizando, com problema de saúde. Esse animal traz micro-organismo de onde ele veio anteriormente. Essas pessoas que vão consumir a carne podem ter problemas de saúde. Pode ser uma leve diarreia, uma indisposição, mas pode um processo mais grave de intoxicação”, informou. 

Queiroz alerta que, apesar das altas temperaturas durante o cozimento, o risco de liberação de micro-organismos é grande. “Mesmo que a carne seja assada ou cozida, os micro-organismos liberam, muitas vezes, toxinas. Muitas vezes elas não se deterioram com a temperatura. Como é um animal que a gente não costuma se alimentar, é uma carne diferente do que a gente está acostumado, a Vigilância Sanitária recomenda que não se alimente com ela”, completou. 

Caso 

A baleia, um animal adulto com cerca de 15 metros de comprimento e 39 toneladas, foi encontrada com vida, na sexta-feira (30). Os moradores tentaram ajudar jogando água nela, e equipes do Instituto Baleia Jubarte também prestaram atendimento, mas o animal morreu horas depois. 

No fim da tarde de segunda, a baleia foi levada para a praia de Tubarão, que fica na mesma região, para facilitar a retirada do animal. Cerca de 10 toneladas já foram removidas desde o sábado (31). 

O reboque foi feito com uso de um barco, depois de algumas tentativas sem sucesso de remover o animal diretamente de Coutos, por conta da dimensão da baleia e também do difícil acesso à praia. 

Na quinta-feira, outra jubarte já havia sido encontrada morta na praia de Plataforma, a cerca de 8 km de Coutos. 

No sábado, moradores chegaram a pegar pedaços de carne do animal, para consumo.  

Por conta da decomposição do animal, moradores do entorno relataram um intenso mau cheiro e medo de doenças, ontem (2). 

FONTE: Informações | G1/BA 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password