Morre mulher que arrecadou quase R$ 800 mil para tratar câncer

Faleceu na última quinta-feira (7) a psicóloga Luciana Medeiros, de 38 anos, em razão de um câncer de colo de útero. Há cerca de três meses, médicos indicaram um tratamento nos Estados Unidos e ela lançou uma vaquinha virtual para pagar o tratamento, que custaria quase R$ 1,5 milhão. Em uma semana, foram arrecadados R$ 580 mil. No total, quase 7 mil apoiadores doaram mais de R$ 788 mil.

A família publicou uma mensagem de agradecimento nas redes sociais: “Luciana (nossa Lu) descansa nos braços do Pai… Foram momentos de muita luta, força, fé e amor… Agradecemos as orações e toda energia que Lu e toda a família receberam ao longo dessa jornada”.

No último dia 3, ela havia postado uma foto celebrando 2021. “Um ano de muita esperança! Que venha a minha cura, minha vida de volta”, escreveu.

Assim que descobriu a doença, no final de 2018, a mãe de três crianças “deu início a um tratamento muito sofrido, que inicialmente consistiu em radioterapia, duas quimioterapias e duas cirurgias”, de acordo com a página do financiamento online.

No entanto, em dezembro de 2019, após todas as terapias e dois meses depois de finalizar a última quimio prevista, os médicos detectaram a metástase, quando o câncer se espalha para outras partes do corpo.

Medeiros partiu para o tratamento com imunoterapia e realizou mais uma cirurgia, além de novas sessões de quimioterapia. Mas as intervenções não surtiram o efeito desejado.

Então, a equipe médica indicou uma terapia oferecida nos EUA chamada TIL (Tumor Infiltrating Lymphocytes), em que os linfócitos – células de defesa – do paciente são extraídos, cultivados em laboratório e injetados de volta ao organismo. Foi quando a psicóloga decidiu fazer a vaquinha.

Personalidades brasileiras divulgaram a causa da internet. “Nós vamos ajudar. Eu espero que você faça o mesmo”, disse o craque Roberto Carlos, ex-jogador de futebol com passagens por Real Madrid e Seleção Brasileira. O lutador Junior Cigano, do UFC, também pediu doações.

Em um primeiro momento, Luciana estimou que o tratamento custaria R$ 600 mil reais, mas um e-mail recebido do Centro de Tratamento de Câncer MD Anderson, da Universidade do Texas, a fez pensar em desistir. “Meu chão desapareceu. Chorei muito e realmente me desesperei”, contou ela. Isso porque a quantia informada pelo hospital norte-americano superou muito as expectativas da família.

“Os pacientes geralmente pagam entre 200 mil e 275 mil dólares por todos os laboratórios, procedimentos, tomografias computadorizadas, consultas médicas e internação para o estudo”, dizia o comunicado. Com a cotação atual da moeda estrangeira, o valor poderia chegar a quase R$ 1,5 milhão.

“Não sei como faremos, mas o que sei é que não posso desistir. Por eles, por meus filhinhos. Eu fiz uma promessa e vou cumprir, vou lutar enquanto eu puder”, declarou a psicóloga em um post.

No final de 2020, ela embarcou para a cidade de Houston, onde faria o tratamento. Até chegou a passar por consultas e exames, mas logo precisou retornar ao Brasil.

“A tomografia mostrou uma obstrução intestinal que já estava trazendo muitos sintomas, como dor e uma severa distensão abdominal”, disse Medeiros. “Fazer essa cirurgia nos Estados Unidos acabaria resultando em gastar o dinheiro do tratamento. Optamos, então, por retornar ao Brasil, fazer a cirurgia, coberta pelo plano de saúde, e retornar aos EUA”, completou.

Ela passou 16 dias internada após o procedimento. Sem poder voltar ao Texas, iniciou outro tratamento com uma medicação de alto custo no último dia 30 de dezembro, mas morreu oito dias depois.

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password