Mãe de mulher morta pelo marido diz que achou corpo da filha embaixo de edredom: ‘quebrou o pescoço dela’

A mãe da jovem Ana Claudia de Melo, de 27 anos e que foi morta estrangulada pelo marido em Guararapes (SP), afirmou ao G1que foi ela quem encontrou a filha morta com marcas de violência enrolada em um edredom.

“Acordei e vi a porta aberta. Achei estranho. Quando entrei no quarto para desejar ‘bom dia’, encontrei ela deitada na cama. Como ela não respondia, eu puxei o edredom e a vi sem vida. Ele simplesmente quebrou o pescoço dela”, diz Maria Aparecida de Melo, 56 anos.

Segundo a auxiliar de limpeza, a filha estava alegre e tranquila horas antes do assassinato ser cometido pelo genro, Felipe Carvalho, de 27 anos. Ele foi preso no mesmo dia do crime após ser achado em um matagal e confessou que havia matado a mulher.

Marido de mulher morta estrangulada é preso em Guararapes

Marido de mulher morta estrangulada é preso em Guararapes

“Na sexta-feira (29), eu cheguei em casa e a vi lavando roupa. Ela estava cantando e bebendo algumas cervejas. Para falar a verdade, estava até mais carinhosa. Parecia que ela sabia que aquele era o último dia dela”, relembra Maria Aparecida.

A auxiliar de limpeza também contou que o casal estava consumindo bebidas alcoólicas na noite de sábado, mas que não houve nenhuma briga entre os dois. Além disso, os filhos deles, um de 5 e outra de 3 anos, estavam em casa quando tudo aconteceu.

Relacionamento conturbado

De acordo com a mãe da vítima, Felipe Carvalho é usuário de droga e agressivo. Por isso, o relacionamento entre os dois era bastanteconturbado, inclusive com ocorrências anteriores de agressões e medida protetiva. O casal já tinha se separado porque a vítima era agredida, mas reatou há pouco tempo.

“Alguns meses atrás eles se mudaram para Castilho. Eu e meu marido ficávamos preocupados e íamos visitá-los. Como ela estava com problemas, a buscamos e a trouxemos para casa. Alguns dias depois, ele bateu aqui pedindo desculpas. Acreditamos nele porque queríamos a felicidade da nossa filha”, diz.

“Eu e minha filha tínhamos nossas discussões, mas eu tentava dar alguns conselhos para ela. O que eu mais tinha medo era que o Felipe fizesse algo com ela, o que acabou acontecendo”, completa Maria Aparecida.

Prisão preventiva

No domingo (31), a Justiça alterou durante a audiência de custódia a prisão em flagrante de Felipe Carvalho para preventiva.

De acordo com o Tribunal de Justiça, a decisão foi tomada baseada no artigo 312 do Código de Processo Penal, que diz que a “prisão preventiva poderá ser decretada como garantia da ordem pública, da ordem econômica, por conveniência da instrução criminal, ou para assegurar a aplicação da lei penal, quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria”.

G1

0 Comentários

    Deixe um Comentário

    Login

    Bem vindo! Faça login na sua conta

    Lembre de mimPerdeu sua senha?

    Lost Password