Justiça manda soltar sindicalista e empresário presos durante operação #TudoNosso da PF 

José Avelino Pereira e Igor Thiago Pereira foram presos no dia 13 de agosto, em Itatiba/SP. Com a determinação do desembargador do TRF3, o juiz de Araçatuba/SP que cuida do caso, informou que a decisão vai ser cumprida e eles podem ser soltos a qualquer momento.

Na tarde desta quinta-feira (29), o Tribunal Regional Federal da Terceira Região determinou a soltura do empresário, José Avelino Pereira, e do filho dele, Igor Thiago Pereira, presos durante a operação da Polícia Federal ‘#TudoNosso’, que investiga uma organização criminosa suspeita de desviar dinheiro público da Prefeitura de Araçatuba/SP por meio de licitações fraudadas. 

De acordo com a Polícia Federal, José Avelino Pereira, conhecido popularmente como Chinelo, é suspeito de ser o líder da organização criminosa. 

O filho dele, que é presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Itatiba/SP, é suspeito de fazer parte do grupo de colaboradores. Ambos foram presos temporariamente no dia 13 de agosto, em Itatiba. 

Contudo, a Justiça converteu a prisão deles em preventiva três dias depois e eles permaneceram à disposição da Justiça no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Hortolândia/SP. 

Na semana passada, a Justiça Federal indiciou o sindicalista José Avelino Pereira e Igor Thiago Pereira por diversos crimes. Entre eles corrupção e falsificação de documentos. Outras 13 pessoas também foram indiciadas. 

Segundo as investigações da Polícia Federal, além de ser chefe da organização criminosa, Chinelo também possuía forte influência política na região. Assim, ele indicava pessoas de confiança para ocupar cargos de livre nomeação na Prefeitura de Araçatuba. Com poder de decisão dentro de secretarias municipais, o empresário conseguia livre trânsito, articulação e informações privilegiadas relacionadas aos contratos da prefeitura. 

Além disso, ele também criou um esquema de desvio de recursos públicos mediante a utilização de várias empresas registradas em nome dos sócios e familiares, que atuavam como laranjas. Em mais de dois anos de investigação, a Polícia Federal acredita que a organização movimentou mais de R$ 15 milhões. 

Com a determinação do desembargador do TRF3, o juiz de Araçatuba que cuida do caso, informou que a decisão vai ser cumprida e eles podem ser soltos a qualquer momento. 

‘Estádio’ e ‘chinelo’ 

Vídeos gravados e divulgados pela Polícia Federal mostram o tamanho de uma das propriedades propriedade de José Avelino Pereira, localizada em Clementina/SP. O local tem piscina, área de convivência, casas e uma réplica do Cristo Redentor. 

Nas imagens feitas por um drone é possível ver que o campo de futebol fica à esquerda da entrada da área e que há um letreiro escrito ‘Estádio Germanão’. 

Outra cena que chama atenção é o fato de existir uma escultura gigante de um chinelo instalada no topo de uma estrutura bem próxima da piscina, que faz referência ao apelido de José Avelino. 

FONTE: Informações | G1 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password