Grupo é detido suspeito de matar advogado esquartejado e colocar corpo em sacolas após emboscada

Três homens e uma mulher foram localizados investigações da Polícia Civil de Araçatuba/SP. Corpo da vítima foi achado dentro de um banheiro.

Três homens e uma mulher foram detidos nesta quarta-feira (15) suspeitos de estarem envolvidos no assassinato do advogado Ronaldo César Capelari, de 53 anos, que foi encontrado esquartejado no banheiro de uma casa no bairro Água Branca, em Araçatuba/SP, na noite de terça-feira (14).

A informação foi confirmada pelo delegado responsável pelo caso, Paulo Natal, durante coletiva de imprensa.

De acordo com o delegado, as investigações começaram depois que a família da vítima procurou a delegacia para denunciar que Ronaldo tinha saído para ir em uma aula de natação e não retornou para a casa. Duas horas depois, uma testemunha disse que viu a caminhonete abandonada em uma estrada de terra que dá acesso ao bairro Água Branca.

“A Polícia Militar foi ao local e constatou que era o veículo do advogado. O carro estava trancado. Então, chamamos um chaveiro para ter acesso. Nós fomos ao local, abrimos a caminhonete e constatamos que o chinelo dele com marcas de sangue estava dentro e tinha outras marcas de sangue. Começamos a fazer várias diligências com o intuito de descobrir o caminho que ele tinha feito e conseguimos as filmagens”, afirma.

De acordo com o delegado, a polícia foi informada de que uma pessoa tinha visto a caminhonete dele em uma casa no bairro Água Branca. A PM foi até o local e residência estava sem ninguém.

“Os policiais sentiram um cheiro perto do banheiro e encontraram Ronaldo sem vida com o corpo esquartejado. No imóvel, conseguimos descobrir quem seria o locatário. Então, doram feitas várias diligências”, explica.

Emboscada

Conforme o delegado, uma jovem de 24 anos, sabendo que a polícia estava atrás dela, procurou a DIG na manhã desta quarta-feira (15) alegando tinha alugado a casa, mas que estava aberta e não sabia o que tinha acontecido. Porém, posteriormente, confessou a participação.

“Ela falou que conhecia a vítima havia dois meses e tinha o contato pessoal dela. Os amigos dela, do bairro Água Branca, tinha convidado ela para roubar Ronaldo, depois de ficarem sabendo que ele tinha um veículo bom. Ela aceitou e assim foi feito. A mulher ligou para o Ronaldo e combinou dele ir ao local para conversar. Quando ele estava chegando no imóvel, ela saiu da casa e deixou ela aberta. O Ronaldo entrou na casa e foi surpreendido pelos três, que o arrastaram com violência para dentro da casa”, conta.

Segundo o delegado, a mulher alega que viu até essa parte e soube da morte no dia seguinte.

“Ela diz que ficou sabendo somente no dia depois, porque um dos suspeitos disse que tinham matado a vítima porque ela tinha reagido e havia esquartejado o corpo dele. Ela acabou relatando quem era os rapazes e os localizamos”.

Conforme Paulo natal, um não quis falar sobre os fatos, outro nega e outro fala que foi convidado para participar e não teria aceito.

“Tudo indica que foi latrocínio, mas ainda estamos analisando as provas que confirmem o que a mulher disse. Ela afirma que o pessoal roubou R$ 200 que o Ronaldo daria para ela. A relação dos dois era de proximidade.

Sumiço

Ronaldo sumiu na noite de segunda-feira (13) após sair de casa para ir a uma academia de natação na cidade. Após o sumiço, na noite de segunda-feira, a família procurou a delegacia para registrar um boletim de ocorrência de desaparecimento.

A caminhonete de Ronaldo foi encontrada pela polícia em uma estrada de terra em Birigui/SP, que fica a 18 quilômetros de Araçatuba, na manhã de terça-feira. O veículo não havia sinais de arrombamento, mas estava batido e riscado.

FONTE: Informações | g1.globo.com

0 Comentários

Deixe um Comentário

2 × quatro =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password