Golpes em aplicativo de compra e venda fazem duas novas vítimas

Um motorista de 39 anos e uma porteira de 38 anos registraram boletins de ocorrência por estelionato, na tarde desta quarta (8). Ele teria negociado um carro e ela uma moto, ambos pelo site OLX de compra e venda.

Segundo o motorista, ele negociou com um homem que se identificou como Thiago, que disse que o veículo estava no nome de uma moça, para quem tinha vendido um imóvel, chamada Vanessa e recebeu o carro, que poderia ser visto em Palestina/SP, como parte do pagamento.

O motorista contou que ao chegar no local indicado para ver o carro, foi abordado pela dona do carro, que se identificou como Vanessa e o deixou andar no veículo para testá-lo. Então disse que negociaria com Thiago sobre forma de pagamento e depois voltaria para buscar o veículo.

De acordo com o boletim, ele negociou uma entrada de R$ 15 mil para compra do veículo, e o acordo foi um depósito de R$ 7 mil na conta da mulher de Thiago, onde agência do banco seria em Fortaleza/CE. Ele fez uma transferência do mesmo banco, que cai na hora, para conta da mulher e programou outra para o dia 9 de janeiro para uma conta em nome de Thiago, com o valor de R$ 8 mil, que seria o restante do pagamento.

Nesta quarta (8), Thiago ligou várias vezes para o motorista dizendo que a transferência tinha dado erro e no saque do caixa eletrônico aparecia uma mensagem (A operação não fora efetuada – transação não confirmada – mencione ao gerente o código 408).

O motorista achou estranhou e resolveu ligar para Vanessa dizendo que buscaria o veículo, pois já tinha depositado um sinal de entrada. Vanessa respondeu que ela não recebeu nenhuma entrada, estava vendendo o veículo sem vínculos com Thiago, que não comprou nenhum imóvel dele. Segundo o motorista, a mulher disse que possivelmente Thiago teria usado a venda do carro de forma ilícita.

O motorista foi até a agência do banco, onde fez a transferência, conversou com o gerente, que bloqueou o valor transferido para restituição ao cliente e o orientou a fazer um boletim de ocorrência.

Segundo registros policiais, uma porteira viu um anúncio de uma moto Biz, também na OLX, no valor de R$ 5.400. Ela entrou em contato com o número de Whatsapp do proprietário do anúncio e falou com uma pessoa que se identificou como José, disse que era advogado e teria recebido a moto como forma de pagamento de honorários advocatícios.

Eles negociaram o valor de R$ 4 mil de entrada e o restante seria negociado em parcelas, quando o suposto advogado retornasse de viagem de férias com a família.

De acordo com a porteira, o homem que se apresentou como advogado disse que a moto estava em frente ao aeroporto em uma loja.

Em contato com o proprietário da loja, a porteira informou a ele sobre a negociação feita pelo Whatsapp com José, e que a moto seria passada para o nome dela, porém uma outra pessoa que lhe devia um dinheiro, faria o depósito. O proprietário disse que assim que recebesse a confirmação do pagamento, passaria a moto para o nome dela.

Ainda segundo boletim, ela depositou o valor de R$ 4 mil na conta do suposto sócio do proprietário. E ele disse à porteira que não iria no cartório transferir a moto, porque não tinha recebido a confirmação que aguardava pelo telefone.

A porteira enfatiza que o proprietário estava conversando com alguém, que era advogado, pelo telefone, e na conversa deu a entender que eles ganharam juntos, uma causa jurídica e, por ter gastado todo dinheiro, devia para esse advogado.

Foi registrada uma ocorrência por estelionato, a vítima apresentou uma mídia com áudios do Whatsapp sobre a negociação e foi orientada a acrescentar na mídia os anúncios da venda da moto no Distrito Policial.

A polícia vai investigar os casos.

S. J. do Rio Preto | DL News

0 Comentários

Deixe um Comentário

cinco × dois =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password