Família de Olímpia: Justiça quebra sigilo de dados telefônicos de envolvido no crime

Polícia quer esclarecer detalhes da execução da família em Votuporanga e outros crimes

A Justiça de Votuporanga negou a liberdade e autorizou a quebra do sigilo telefônico e telemático de um dos presos acusado de envolvimento na execução da família de Olímpia ocorrida em Votuporanga em 28 de dezembro do ano passado. No mesmo despacho, o juiz também autorizou a apreensão de aparelhos de celulares e informática, tanto do réu quanto das 3 vítimas.

O procedimento é para ajudar na elucidação dos detalhes do triplo homicídio (pai, mãe e filha) ocorrido em um canavial bem como esclarecer a participação dos envolvidos em outros crimes e, eventualmente, em organização criminosa.

“…Desse modo, DEFIRO, por imprescindível à elucidação de crimes graves, a quebra de sigilo de dados dos aparelhos celulares, computadores, pendrive e outros equipamentos eletrônicos encontrados e apreendidos, podendo o representado ser questionado….a fim de que sejam submetidos a perícia técnica apta a desvendar a prática de eventual crime. O mandado de prisão temporária do paciente foi expedido e cumprido no mesmo dia, esclarecendo que as investigações estavam em curso anteriormente (fls. 61/62). Com base no interrogatório na delegacia do Paciente e demais diligências como quebra de sigilo telefônico e telemático do paciente e das vítimas, foram presos temporariamente outros dois suspeitos…. O crime em questão causou grande repercussão no interior paulista, vitimando um casal e a filha adolescente, e as diligências continuam sendo efetuadas pela polícia civil. Os autos aguardam a conclusão do Inquérito Policial. Entendo serem estas informações suficientes para o deslinde da questão….”, escreveu o juiz relator da 1º Vara da Comarca ao analisar o caso. FONTE: VOTUPORANGA TUDO.

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password

Você não pode copiar o conteúdo desta página