EUA anuncia que deixará de seguir pacto sobre armas nucleares de alcance intermediário com a Rússia 

Washington acusa Moscou de descumprir acordo de 1987 com o novo míssil russo Novator 9M729. Tratado proíbe os dois lados de instalar mísseis terrestres de alcance curto e intermediário no continente europeu. 

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, anunciou nesta sexta-feira (1º), que os EUA vão suspender seu cumprimento do Tratado de Forças Nucleares Intermediárias com a Rússia neste sábado (2) e se retirarão do marco do acordo em seis meses se Moscou não encerrar sua suposta violação do pacto. 

A Rússia nega a violação do tratado, que proíbe que os dois lados instalem mísseis terrestres de curto e médio alcance na Europa. 

Washington acusa a Rússia há tempos de descumprir o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário de 1987, alegando que o novo míssil russo Novator 9M729, chamado pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) de SSC-8, viola o pacto, que proíbe os dois lados de instalarem mísseis terrestres de alcance curto e intermediário na Europa. 

A Rússia nega, dizendo que o alcance do míssil o excluí do tratado, acusando os EUA de inventarem um pretexto para se desligarem de um acordo que Washington quer abandonar de todo modo para desenvolver novos mísseis e rejeitando a exigência norte-americana de destruir o novo míssil. 

Ontem (31), a subsecretária de Estado para o Controle de Armas e a Segurança Internacional, Andrea Thompson, realizou as últimas conversas com o vice-ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Ryabkov, em Pequim, antes do vencimento do prazo de 60 dias dado pelos EUA para Moscou voltar a respeitar o tratado. 

Andrea e Ryabkov, que se encontraram nos bastidores da reunião de potências nucleares, disseram mais tarde que os dois países não conseguiram conciliar as diferenças. 

Em uma entrevista, Andrea adiantou que Washington, ao deixar de seguir o pacto já neste final de semana, permitiria aos militares de seu país começarem a desenvolver imediatamente seus próprios mísseis de alcance maior, se quiserem fazê-lo, aumentando a possibilidade de eles serem instalados em solo europeu. 

“- Poderemos fazer isso (suspender nossas obrigações do tratado) no dia 2 de fevereiro”, disse ela à Reuters, antes do anúncio de Pompeo. 

A saída formal do acordo, uma vez informada, leva seis meses. “- Depois também podemos realizar pesquisa e desenvolvimento e trabalhar nos sistemas que não pudemos usar por estarmos obedecendo o tratado”. 

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password