Deputado Fausto Pinato emite nota de agradecimento à China por envio de insumos

O presidente da Frente Parlamentar Brasil-China e da Frente Parlamentar dos BRICS, deputado federal Fausto Pinato (PP-SP), emitiu uma nota pública, nesta terça-feira (26), agradecendo ao presidente chinês Xi Jinping pela sensibilidade ao permitir a exportação de insumos ao Brasil para a produção de vacinas contra a Covid-19.

Os agradecimentos se estenderam ao embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, o qual elogiado pela interlocução junto aos dois países.

Os agradecimentos vieram após o anúncio feito ontem pelo presidente Jair Bolsonaro de que o governo chinês comunicou ao Governo Federal a liberação de 5,4 mil litros de insumos para a fabricação da vacina Coronavac no Brasil, que é produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a fabricante chinesa Sinocac. Também há expectativa, segundo o presidente Bolsonaro, de envio de insumos para a fabricação da vacina Oxford/Astrazeneca.

“A Frente Parlamentar Brasil-China e a Frente Parlamentar dos BRICS agradecem ao presidente da República Popular da China, Sr. Xi Jinping, pela sensibilidade ao entender as necessidades do nosso povo e permitir a exportação dos insumos essenciais para a fabricação de vacinas contra a Covid-19 pelos laboratórios brasileiros”, diz Fausto Pinato, em nota.

Ele ressaltou a UNIÃO de todos nas tratativas junto ao governo chinês, as quais tiveram a participação do ex-presidente Michel Temer, do Governo de São Paulo, de parlamentares e senadores, de entidades e associações chinesas no Brasil. “Todos se empenharam em um único objetivo, em suas respectivas atribuições. Quem ganhou foi o Brasil e os brasileiros”, disse o parlamentar.

Carta ao Presidente Xi Jimping

No dia 19, o deputado Fausto Pinato enviou uma carta ao presidente chinês, Xi Jinping, pedindo sua intervenção para liberar a exportação da matéria-prima IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) para que o Brasil continue produzindo as vacinas Coronavac e Oxford/Astrazeneca. Com o estoque de insumos em baixa, havia o risco de interrupção do plano nacional de imunização.

“Diante do exposto, peço cordialmente a intervenção de Vossa Excelência para liberar a exportação do princípio ativo IFA aos laboratórios brasileiros Instituto Butantan e Fundação Oswaldo Cruz, para que o Brasil não desacelere o seu programa nacional de vacinação. Afinal, o tempo é o maior inimigo na luta contra a Covid-19. O Brasil é um dos países mais afetados pelo vírus em todo o mundo, com 8,5 milhões de infectados e mais de 210 mil mortos”, diz um trecho da carta.

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password