Caso Jair Comino: Pai e filho acusados do homicídio irão à Júri Popular 

Justiça de Votuporanga/SP irá julgar o caso nos próximos meses, em data a ser agendada pelo Juiz Presidente do Tribunal do Júri Popular, Jorge Canil. 

De acordo com à Justiça, pai e filho moradores que estão presos, vão à júri popular por homicídio, acusados de protagonizarem a morte de Jair Comino, de 63 anos, no bairro Parque das Nações, em Votuporanga/SP, no dia 25 de novembro de 2018. 

De acordo com informações, o jovem de 18 anos teria provocado a morte da vítima, que estava de motocicleta, ao atropela-la com o veículo GM/Astra que conduzia. Segundo a Polícia Civil, o jovem teria “tomado as dores do pai e provocado o acidente, mas também ficou caracterizado que o pai o incentivou a tal ocorrência”, afirmou o delegado Márcio Nosse, à época.  

De acordo com a sentença de pronuncia dos réus, a morte do motociclista foi tramada após uma discussão dele e Luciano Pocebom Cordeiro, em um bar. “...induziu o filho, Gabriel Alves Cordeiro, por motivo fútil (discussão num bar) e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, a colidir, de forma proposital, seu automóvel contra a traseira da motocicleta conduzida por Jair Comino, que não esperava a manobra e faleceu em razão das lesões”, diz trecho do processo. 

Na fase de instrução processual foram interrogadas 16 pessoas, entre elas testemunhas e os próprios réus. Também foram realizadas perícias nos veículos e nos celulares dos envolvidos. Em uma mensagem no aparelho do jovem a polícia descobriu o desespero dele ao ser descoberto, em conversas por aplicativo. 

Ainda segundo essas informações, pai e filho negaram a prática do crime. Luciano disse que pediu para o filho busca-lo no bar após a discussão com Jair, que supostamente estaria armado. Ele alegou que ficou com medo e pediu carona ao filho. Já o motorista declarou ter seguido Jair (que pilotava a moto) para anotar a placa da moto e chamar a polícia, tendo em vista ele estar armado, tendo o motociclista caído sozinho e eles fugiram do local para evitar problemas. 

Nas mãos da Justiça, pai e filho serão julgados nos próximos meses, em data a ser agendada pelo Juiz Presidente do Tribunal do Júri Popular, Jorge Canil. Eles foram denunciados por homicídio duplamente qualificado (motivo fútil e recursos que dificultaram a defesa da vítima). O jovem também responde por dirigir sem permissão, já que não possuía CNH (Carteira Nacional de Habilitação). 

À vítima 

Jair Comino, trabalhava como pedreiro em uma instituição de ensino da cidade, natural de Votuporanga, deixou à esposa, filhos e amigos. Tendo como último endereço na rua Arlindo Francisco, no bairro Colinas, na zona norte deste município. 

0 Comentários

Deixe um Comentário

3 + dez =

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password