Carro parado em ‘quarentena’ exige cuidados: veja dicas de manutenção

Limpeza e retirada de fluidos ajudam na conservação do veículo. Freio de mão liberado também reduz chance de componentes grudarem.

Em tempos de isolamento social, com orientações claras para que as pessoas não saiam de casa sem necessidade, é preciso lembrar que um carro parado por muito tempo exige alguns cuidados.

No momento, ainda não é possível prever quando a circulação de pessoas e veículos será restabelecida. Até por isso, dependendo do tempo que o veículo ficar sem uso, os cuidados devem ser redobrados.

G1 listou algumas medidas que podem ajudar na conservação:

Limpe o veículo

Vale fazer uma boa limpeza, tanto externa, como interna. Para o interior, um aspirador de pó pode ajudar com tecidos e carpetes. No painel, a higienização pode ser feita com o álcool isopropílico, o mesmo usado para limpar eletrônicos. Se o material não estiver disponível, faça a limpeza com um pouco de detergente neutro.

Um cuidado adicional é cobrir o veículo com uma capa, para protegê-lo do acúmulo de poeira, e, se ficar em ambientes externos, também do sol e da chuva. Isso deve ser feito com o carro seco, para evitar a formação de manchas na carroceria.

E a capa deve ser de material macio, caso contrário, ela pode provocar riscos na lataria.

Rodas pro ar

Se o carro for ficar parado por meses, é interessante deixá-lo sobre cavaletes. Isso evita que os pneus fiquem deformados, com o contato prolongado com o chão.

Como nem sempre isso é possível, prepare-se para encontrar pneus murchos após a “quarentena” do veículo. Caso haja algum equipamento para fazer a calibragem em casa, mantenha os pneus sempre cheios, de acordo com as especificações do fabricante.

Depois do segundo mês parado, o carro pode ficar com os pneus murchos e “quadrados”, causando um desconforto na rodagem. Desta forma, assim que o veículo voltar a rodar, será preciso fazer uma avaliação com um profissional.

Freio de mão solto

Para que os componentes dos freios não grudem, uma recomendação é deixar o freio de mão solto. Nesse caso, obviamente, é preciso apoiar o carro com travas de madeira.

Cuidado com os fluidos

Se o período de quarentena for estendido por mais de 3 meses, é prudente deixar o mínimo de combustível no tanque. Isso porque gasolina e álcool podem estragar no reservatório, e o prejuízo posterior pode ser maior, com o entupimento de bicos e dutos.

Caso o carro parado esteja com o tanque mais cheio, a remoção em casa só é indicada com os equipamentos corretos: uma bomba de sucção e um reservatório próprio para combustível.

Se esse não for o caso, deixe o carro como está, e, quando a rotina for retomada, procure um local adequado para realizar a troca do combustível.

O mesmo vale para o óleo lubrificante, que também tem validade. Quando vencido, ele não conserva suas características originais, daí a importância de ter o líquido novo.

Bateria desconectada

Mesmo com o veículo parado, alguns itens “puxam” carga da bateria. Por isso, quando um dos passos para preparar o carro para a “quarentena” é desconectar os cabos da bateria. Mas essa dica vale para modelos mais antigos, que não tinham tantos módulos eletrônicos.

Nesse caso, é preciso desconectar os soquetes, começando pelo polo negativo, coberto normalmente por uma tampa plástica preta. Em seguida, faça o mesmo com o polo positivo, que costuma ter a tampa vermelha. Nunca encoste nos dois polos ao mesmo tempo.

Em modelos mais novos, vale consultar o manual ou a fabricante, para saber se isso é recomendável.

FONTE: Informações | g1.globo.com

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password