Acusado de matar e roubar taxista em Bálsamo é condenado a 41 anos de prisão

Um adolescente já havia sido condenado por ato infracional pelo envolvimento no crime que chocou a região pela crueldade.

Hariel Costa Morais, 24 anos, acusado de ter roubado e assassinado o taxista João Roncolato foi condenado a 41 anos de prisão por latrocínio e corrupção de menores. O crime aconteceu em abril deste ano às margens da rodovia Washington Luís (SP-310), quando a vítima, um idoso de 84 anos, foi espancada e abandonada em uma vicinal na região de Tanabi/SP. A sentença foi proferida nesta terça-feira (17), pelo juiz da 2ª Vara Criminal de Mirassol/SP, Senivaldo dos Reis Junior. Um adolescente, 14 anos, já foi condenado por ato infracional por envolvimento no crime.

O idoso foi encontrado por policiais militares, os quais tinham sido comunicados de que havia um homem machucado e com um ferimento na cabeça em uma estrada que liga Bálsamo/SP a Engenheiro Balduíno. Inconsciente, o taxista foi levado em para a UBS (Unidade Básica de Saúde) de Bálsamo e depois transferido para o Hospital de Base de São José do Rio Preto/SP. No HB ele morreu horas depois em decorrência de um traumatismo craniano.

A Polícia Civil investigou o caso e apontou Hariel, um adolescente de 14 anos e uma criança de 11 anos como autores do latrocínio. O carro roubado foi levado pelos envolvidos até Mirassol, onde os jovens arrancaram as placas vermelhas de táxi. De lá, retornaram a Tanabi, onde atearam fogo ao veículo. Hariel, no entanto, esqueceu o próprio RG no local onde as placas foram removidas.

O documento foi a pista e a prova principal da autoria do crime. Segundo a investigação, todos os três confessaram envolvimento no crime, mas apenas o maior teria desferido os golpes de machado contra a vítima. Já Hariel afirma que pegaram o táxi para ir em um baile funk, resolveu anunciar o assalto, mas nega que teria agredido o idoso. O acusado disse ainda que tinha usado drogas.

Durante audiência do processo o juiz ouviu testemunhas e policiais militares que registraram o caso na época. “Por outro lado, os depoimentos das testemunhas foram harmoniosos e coerentes, amparado e por tudo o mais que foi colhido antes e durante este processo, atestando a existência do crime e a sua autoria conforme a denúncia oferecida pelo Ministério Público”, escreveu o magistrado.

Segundo Reis, o crime foi um dos “delitos mais brutais ocorridos na Comarca de Mirassol nos últimos anos.” Diante das circunstâncias, Hariel foi condenado as penas de 37 anos de prisão por latrocínio com a agravante da vítima ter mais de 60 anos e mais três anos e seis meses por corrupção de menores. “Somando as penas aplicadas, torno definitivo a condenação do acusado à 41 anos e 10 dias de reclusão e 63 dias multa”, sentenciou o juiz.

Segundo o resumo da sentença publicada no site do Tribunal de Justiça, o Ministério Público não irá recorrer da condenação. Já a defesa de Hariel manifestou a favor de recurso contra a sentença. Durante o prazo recursal, Hariel continua preso.

FONTE: Informações | Diário da Região

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password