Zélia Duncan encerra Fliv hoje com show na Concha Acústica

Também tem atividades para crianças, danças urbanas e Sarau Poético com reconhecidos escritores na parte da tarde

Depois de nove dias de intensa programação com apresentações musicais, rodas de conversa, saraus, espetáculos teatrais, entre outras atividades, chega ao fim neste sábado (15/8) o Fliv (Festival Literário de Votuporanga) 2015. Este ano, o evento recebeu personalidades como o cantor e apresentador Rolando Boldrin, o jornalista Caco Barcellos, o músico Tico Santa Cruz, os escritores Paulo Lins e Geraldo Peçanha e outros grandes nomes da literatura.

No último dia do festival, a programação começa às 9 horas e se encerra à noite com o show de Zélia Duncan, marcado para as 21 horas, no palco da Concha Acústica “Prof. Geraldo Alves Machado”, aberto ao público. Dona de uma trajetória de sucesso no cenário musical brasileiro, a cantora promete mesclar composições próprias com canções do repertório afetivo da artista. O público pode esperar grandes hits, como Catedral, Enquanto Durmo, Alma e Tudo sobre você, além de músicas como Tua Boca e Vê Se Me Esquece, do álbum Zélia Duncan canta Itamar Assumpção – Tudo Esclarecido, lançado em vinil em 2015.

Sarau Poético

O último dia do Fliv 2015 também será marcado por um Sarau Poético, a partir das 17h30, no Galpão FLIV, com a presença dos escritores Alice Ruiz, Micheliny Verunschk e Ricardo Aleixo, sob mediação de Heitor Ferraz Mello. Eles interpretarão os próprios poemas e conversarão com o público sobre a sua arte.

Alice Ruiz é poeta, compositora e tradutora. Desde 1969, ela estuda com profundidade o haicai, gênero da poesia japonesa que marca sua trajetória poética. Publicou seu primeiro livro Navalhanaliga, em 1980, e mais tarde, em parceria com o poeta Paulo Leminski, publicou Hai Tropikai em 1985. Em 1989 ganhou o prêmio Jabuti com o livro Vice Versos (1988).

Micheliny Verunschk é poeta e romancista. Publicou os livros Geografia Íntima do Deserto, O Observador e o Nada e A Cartografia da Noite. Foi finalista do Prêmio Portugal Telecom 2004 e participou de várias antologias, como Na Virada do Século – Poesia de Invenção no Brasil, organizada por Claudio Daniel e Frederico Barbosa. No ano passado, lançou seu primeiro romance Teresa – vida e morte de uma santa suicida.

Ricardo Aleixo é um dos mais inventivos poetas brasileiros da atualidade. Ele já lançou seis livros de poesia: Festim, A Roda do Mundo (em parceria com o poeta Edimilson de Almeida Pereira), Quem Faz o Quê?, Trívio, Máquina Zero e Modelos Vivos. Em sua obra, a poesia abraça todos os campos possíveis da expressão, como a sonoridade, a oralidade e a plasticidade da imagem poética.

Histórias e música

Completam a programação deste sábado, no Galpão FLIV, a contação de histórias com Álvaro Rovares, às 9h e reapresentação às 11h; apresentação cultural da Semana do Bebê, às 10h; e oficina de instrumentos e musicalização, com Jussara Belloni, às 14h30. Já na Feirinha FLIV, haverá apresentação do grupo JAM Danças Urbanas, às 15h30, e Feira de Troca de Livros do Senac, das 9h às 22h. Saiba mais sobre o festival em www.flivotuporanga.com.br ou no facebook.com/flivotuporanga. Da Redação/A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password