Zé Carabina volta ao banco dos réus pela segunda vez

Três anos depois do primeiro julgamento, cujo sentença foi anulada pela justiça, o pai de santo José Aparecido Francisco, conhecido como Zé Carabina, retorna hoje ao banco dos réus.
O acusado deve responder por duas acusações: estupro de adolescentes durante supostos rituais e também por tentativa de aborto em uma das jovens, que acabou engravidando.
O segundo julgamento de Zé Carabina acontece às 9h, no tribunal do júri da Comarca de Votuporanga. Os trabalhos serão presididos pelo juiz de direito Jorge Canil.
O representante da Ministério Público, denunciante do réu e responsável pela acusação, será o promotor de justiça João Alberto Pereira. Já a defesa de Carabina será representada pelo advogado Jaime Pimentel.
Nos início do julgamento, será realizado o sorteio entre vinte e cinco nomes já selecionados, de onde sairão sete para a formação do Conselho de Sentença, ou seja, os jurados que vão julgar a culpa do réu nas acusações e possíveis agravantes. No primeiro julgamento, ocorrido em 2009, a decisão dos jurados não satisfez o Ministério Público, que recorreu da absolvição do réu da acusação de tentativa de aborto, já que a vítima disse durante depoimento que não foi forçada a fazer o procedimento. Diante das circunstâncias, a promotoria recorreu da decisão acreditando que houve um equívoco na interpretação dos jurados.
O recurso foi julgado procedente pela justiça e hoje, Zé Carabina retorna ao tribunal para responder novamente pelas duas acusações.
Denúncia.
De acordo com o Ministério Público, no primeiro semestre de 2007, provavelmente nos meses de março a abril, em dia e horário não determinados, Carabina, dizendo ser um pai de santo, aproximou-se de duas adolescentes que conversavam em frente à casa de uma delas, no bairro Cecap II. O homem prometeu que poderia fazer “trabalhos espirituais”, que possibilitariam que elas conquistassem os rapazes dos quais gostavam ou que reatassem o namoro que haviam terminado.
Acreditando em tais promessas, as adolescentes passaram a frequentar a residência do pai de santo. Ainda segundo a denúncia, durante as “sessões”, Carabina dizia  ser incorporado por “guias” e dizia que para eles conseguirem o que desejavam, teriam que fazer um trabalho chamado de “cruzado”, que consistia em manterem, através dele, relações sexuais com os tais “guias”.
O réu teria mantido relações sexuais com três menores de idade, sendo que uma delas acabou engravidando. Em junho de 2008, “Zé Carabina” sempre se dizendo pelos “guias espirituais”, teria convencido a jovem a abortar, fazendo com que ela ingerisse dois comprimidos de medicamento abortivo, segundo consta: “Citotec”, assim como, introduziu no órgão genital mais dois comprimidos, o que levou a garota a ser internada na Santa Casa de Votuporanga, onde o aborto foi evitado.
Confira os nomes que devem ir ao julgamento para formação do Conselho de Sentença:
Adriano Borges Domingos da Silva; Agliberto Hélder Teixeira Nunes, Aldo Takao Okoti, Alexandre Farinazzo Martins, Daniela Miranda Gomes Duarte, Edsei Gorayb, Edson Antônio Pistilli, Edson Genari, Edvaldo José Coelho, Elza Bocelin, Fernando Augusto Chaves, Haig Kricor Hamparian, João Carlos de Andrade Barreto, José Paulo Fante, Josuel Domingos, Juliano de Oliveira Monteiro, Manoel Anzai, Márcio Garcia, Margarida de Fátima Lopes dos Santos, Orácio Dela Líbera, Orlando Beretta Junior, Orlando Dionísio Ribeiro Filho, Sueli Maria Vendramini de Ávila, Wilson da Silva.
Jociano Garofolo – A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password