Município investe acima do preconizado na área da Saúde

Em audiência pública realizada na última quarta-feira (28/2), Prefeitura de Votuporanga apresentou balanço positivo do último quadrimestre e de todo ano de 2017

A secretária da Saúde de Votuporanga, Márcia Reina, apresentou na tarde da última quarta-feira (28/2) a audiência pública da pasta do terceiro quadrimestre de 2017, referente aos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro. A abertura dos trabalhos contou com a apresentação do assessor de gabinete da Prefeitura, Deosdete Vechiato, que apresentou os investimentos feitos pela pasta. Vereadores, imprensa e colaboradores municipais do setor também participaram da audiência.

A lei federal fixa aos municípios que os gastos com saúde e os percentuais mínimos a serem investidos seja de 15% de suas receitas, mas em Votuporanga esse número está bastante acima, mostrando a preocupação da gestão com esta área. Em 2017, 27,57% do orçamento foram destinados à saúde, representando quase o dobro de recursos aplicados na área em relação ao que determina a legislação federal.

Durante sua explanação, Márcia Reina explicou como foi feita a destinação desses recursos aos serviços e programas gerenciados pela rede municipal de saúde, bem como os procedimentos e a quantidade de consultas médicas ambulatoriais e da rede de urgência e emergência realizados.

 

Número de atendimentos

Em 2017, 328 mil pessoas foram atendidas nas unidades de saúde de Votuporanga. No ano passado, 179,9 mil pacientes foram recebidos nas unidades ou nos serviços de saúde municipais com consulta marcada, enquanto que em 2016, esse número era de 177,8 mil. A ampliação no número desses atendimentos ofertados entre 2016 e 2017 foi de 1,2%, o que representa 2 mil consultas a mais aos pacientes atendidos de um ano para outro. Os atendimentos de urgência e emergência são prontamente realizados por meio de uma rede resolutiva, com o Samu – 192 (Serviço de Atendimento Médico de Urgência), UPA – 24 horas (Unidade de Pronto Atendimento) e o Hospital do Pozzobon “Fortunata Germano”, na zona norte. De 2016 para 2017, 18 mil pacientes a mais passaram pela rede de urgência e emergência (com exceção dos atendimentos referidos pelo Samu). Em 2016, 132,4 mil passaram por um desses serviços, e no ano seguinte, esse número subiu para 150,6 mil.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password