Vítimas de ladrão fujão reconhecem o criminoso

Após a prisão do reeducando Renato Fragoso Júnior por roubo, três mulheres compareceram ao Plantão Policial para denunciar que também foram roubadas. Fragoso foi preso na quarta-feira, 17, após perseguição policial. Uma viatura transitava pela região do Hospital de Base quando avistou um Gol cuja placa era a mesma de um carro apontado por vítimas como sendo de um ladrão que roubou bolsas, carteiras e aparelhos celulares no centro de Rio Preto.

Ao perceber que iria ser preso Fragoso, que cumpre pena no Centro de Progressão Penitenciária (CPP) por latrocínio (roubo seguido de morte), entrou no carro e disparou em alta velocidade por ruas e avenidas da cidade e foi perseguido pela polícia e só parou após bater o carro numa sarjeta, no terminal rodoviário. O reeducando estava acompanhado da mulher, grávida de cinco meses, que ficou no veículo, enquanto ele continou a fuga à pé. Fragoso foi detido no Centro.

Após ver a foto do criminoso no jornal, a autônoma F.A.S.S., 27, não teve dúvidas: foi ele o autor do roubo em que ela foi vítima na tarde de segunda-feira, 15. Ela contou à reportagem que estava em uma clínica do bairro Redentora quando avistou um Gol escuro descer a rua desligado e com a porta entreaberta.

“Achei estranho a cena. Foi quando um homem desceu armado e apontou o revólver para minha cabeça. Tinha duas senhorinhas na rua que ficaram desesperadas e gritaram para ele não me matar”. F. conta que a ação foi rápida e que, assustado com as testemunhas, Fragoso fugiu levando apenas seu aparelho celular, avaliado em R$ 1,5 mil.

As outras duas vítimas são amigas. Elas caminhavam em direção a um colégio quando foram abordadas em circunstância semelhante. O bandido apontou a arma para elas e fugiu levando dois celulares. Após ser preso ontem, a polícia localizou no carro do suspeito R$ 5,9 mil em dinheiro, nove celulares e seis relógios de pulso. Fragoso alegou que roubava para pagar uma dívida de R$ 30 mil no CPP a outros detentos.

Quem teve celular roubado por Fragoso, pode comparecer no 1º Distrito Policial para tentar recuperar o aparelho, apresentando a nota fiscal do produto. A polícia civil pede que as vítimas roubadas registrem boletim de ocorrência. A suspeita é de que ele tenha cometido vários outros assaltos. Ele foi levado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) da cidade onde permanece à disposição da Justiça. A mulher dele foi ouvida e liberada. Colaborou Joseane Teixeira/DiárioWeb

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password