Vila América concentra o maior número de casos de dengue

Reunião entre as equipes da Vigilância em Saúde discutiu a situação no município; calhas e ralos entupidos foram verificados como os principais focos do Aedes.

 

O panorama da dengue em Votuporanga e as ações de controle foram temas de uma reunião especial na última semana no Secez (Setor de Controle de Endemias e Zoonoses) entre o Departamento Assistencial e as equipes da Vigilância em Saúde. Um dos pontos discutidos foi o aumento no número de casos da dengue no bairro Vila América, que concentra mais da metade dos registros.

Em toda a cidade, são 77 casos positivos da doença, sendo 40 deles do Vila América. A Secretaria da Saúde alerta a população para que tome os cuidados necessários no combate ao Aedes, eliminando a água parada dos criadouros, estejam eles, dentro ou fora do imóvel.

O coordenador do Secez, o biólogo Nilton Santiago reforça o pedido à população para que assuma a sua parte no trabalho de prevenção. “O interior dos ralos e das calhas quando entupidos são quentes e úmidos, duas condições favoráveis para a criação de focos do Aedes. Nesse sentido, os moradores devem estar conscientes de seus papéis como cidadãos e adotar uma postura firme diante de situações tão relevantes. Salientamos que poder público desenvolve, e intensifica quando necessário, todas as ações no combate ao Aedes, embora sem o comprometimento da população, as estratégias se tornam ineficazes”.

Os agentes comunitários de saúde e de endemias que atuam na região do Vila América destacam que nas visitas casa a casa, os ralos e as calhas são os pontos mais comprometidos, fornecendo as condições ideais para a proliferação de focos do mosquito. “Nessas visitas os agentes têm encontrado ralos obstruídos pelo acúmulo de detritos, como fios de cabelo e pelos de animais que não são retirados adequadamente, impedindo ou dificultando a passagem da água para a rede de esgoto. A mesma situação é verificada nas calhas entupidas por terra, galhos e folhas, em grande parte das casas. Essas são as ocorrências mais relatadas pelas equipes”, destacou a chefe de área do Secez, Aparecida do Carmo. “

A recomendação é para que a água flua normalmente nos ralos e calhas. Todo tipo de matéria acumulada interfere na passagem da água nesses locais, para tanto, o recolhimento, limpeza e acondicionamento e a inspeção deve ser realizado constantemente pelo morador.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password