Viagem tranquila pede atenção a carro e casa

É hora de pegar a estrada para curtir as festas de Ano Novo ou rumo ao destino das férias de janeiro. Para evitar riscos ou inconvenientes durante o trajeto, é importante que o veículo esteja em ordem. Cuidados também devem ser tomados com a segurança de casa, que vai ficar sem ninguém. Antes de viajar, não esqueça da revisão do carro. Mas o que é importante revisar? Quais itens devem estar em dia? E quanto custa tudo isso? O Diário consultou concessionárias e oficinas mecânicas para montar uma lista com os itens do que precisa ser checado.

É hora conferir a situação dos freios, dos pneus e de outros quesitos imprescindíveis. De olho na segurança, tranquilidade e conforto da viagem de Rio Preto a Campinas, o auxiliar de administração Alessandro Bertoni da Silva, de 28 anos, fez a revisão do Fiesta dele. “Me sinto mais seguro sabendo que está tudo em ordem. Levo em minha oficina de confiança porque sei que não vou ter surpresas. Acho importante que todos tenham essa consciência.

Afinal, você pode estar com tudo ok, mas outro motorista que não tem o mesmo cuidado vem e provoca o acidente.” Bertoni fez a lição de casa direitinho. O recomendado é fazer a revisão alguns dias antes de partir para haver alguma margem de tempo caso o conserto demorar. “Não gosto de deixar para a última hora, fazendo a revisão dias antes dá para sentir o carro e voltar na oficina se perceber que tem algo errado”, diz ele.

Uma peça ou sistema de um veículo interfere nos demais, por isso é preciso se atentar a tudo. Profissionais da área destacam desde a manutenção dos freios, do sistema elétrico, passando pelo motor até o ar-condicionado, que além de conforto evita que os vidros embacem. As condições das palhetas dos limpadores de para-brisa e do vidro traseiro também precisam ser checadas. São itens essenciais para garantir a visibilidade de chuva.

Tudo é importante

“Uma coisa depende da outra. Se o veículo está com um pneu bom e os amortecedores ruins, o carro vai ficar quicando, não vai ficar apoiado na pista e pode desviar do curso”, diz o mecânico Emerson Aro, dono de centro automotivo em Rio Preto. O freio, acrescenta ele, precisa estar muito bom também para caso de emergência, em que for preciso uma freada brusca, principalmente nas rodovias para o litoral, em que é mais exigido. “ Há itens como as palhetas dos limpadores, que é superbarato e que os motoristas negligenciam.

Quando o carro está atrás de um caminhão e fica aquele spray de água, de sujeira, se estiverem ressecadas, não farão o escoamento adequado, o que atrapalhará a visão.” Os fluidos são outro componente que precisam de atenção redobrada do condutor. “Na estrada, o motor é submetido a um esforço maior do que na cidade. Por isso, é importante checar o nível, a validade de todos os fluidos e seus respectivos filtros.

Além de checar se não há vazamentos: líquido de arrefecimento, óleo do motor e transmissão, fluido de freio, direção hidráulica e embreagem, além do nível de combustível do reservatório de partida a frio”, afirma o mecânico Vitor de Souza. Além de garantir a segurança, estar como veículo em dia evita dissabores em fiscalizações policiais. Emerson lembra que a polícia costuma fiscalizar e multar motoristas que trafegam com extintor de incêndio fora da data de validade. O sistema elétrico, com lanternas, faróis e piscas, também devem estar

Preocupação com casa vai além de ver se ficou bem fechada

Quem viaja e deixa a casa sozinha precisa tomar certos cuidados em relação à segurança. Nesta época, residências vazias se tornam alvos de bandidos. Algumas atitudes podem evitar problemas. Além das precauções básicas, como se certificar de que todas as portas e janelas estão fechadas, há outros fatores que requerem atenção. Comentários sobre o tempo de ausência e de detalhes da viagem devem ser feitos somente com pessoas de confiança.

Gabrielle Dantas, de 33 anos, viaja todo Réveillon para visitar os pais que moram em Belo Horizonte e vai tranquila porque já tem montado um esquema para os dias em que estará fora. “Moro aqui (em Rio Preto) há dez anos e todo fim de ano é sagrado passar com minha família. Quando não passamos em BH, vamos para Guarapari (ES), mas vou sossegada porque minha cunhada vem cuidar do cachorro e aguar as plantas todos os dias. Ela acende e apaga as luzes e recolhe correspondências, a casa não fica abandonada. Se acontecer alguma coisa fico sabendo rápido.”

Orientações da polícia

A manutenção do local é essencial. Sinais de abandono são a senha para aos bandidos de prontidão. “As costumeiras lembranças de não se deixar a luz acesa constantemente. A noite ajuda a prevenir, mas de dia dia é um chamariz para ladrões. Muita ração e água a animais estando à vista de quem passa na rua, acúmulo de jornais, revistas e correspondências na casa, a frente do imóvel suja e abandonada – tudo isso chama a atenção dos criminosos”, afirma o tenente Rafael Henrique Helena, relações públicas da Polícia Militar em Rio Preto.

A PM recomenda relações de boa vizinhança. “Sabendo que o morador ao lado está ausente, o vizinho precisa ficar atento a barulhos e movimentações estranhas até que ele volte. Digo ‘estranhas’, pois pode ser que um parente do morador esteja visitando a residência, por orientação do dono da casa. Verificando qualquer anormalidade fora disso, a orientação é ligar ao 190 para denunciar”, diz o tenente.

A polícia não tem uma estimativa para afirmar se há crescimento de furtos nesta época do ano. Segundo o tenente, não há uma porcentagem exata do aumento dos números no período, “mas diante das circunstâncias, com muita gente viajando, isso pode ser um fator que potencializa o risco de furtos. Daí a importância das precauções que precisam ser tomadas, inclusive a de pedir auxílio à polícia quando necessário.” DiárioWeb

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password