Vereador Osmair é contra possível taxa do lixo

Autarquia justifica que taxa refere-se a determinações da nova política nacional de resíduos sólidos, sob a lei nº 12.305 de 02 de agosto de 2010; Osmair Ferrari já se coloca contra mudançaA coleta de lixo voltou a ser discutida na tribuna da Câmara dessa semana.
Assim como o Diário publicou com exclusividade, a partir da próxima licitação, que deve acontecer no final do novembro, a empresa ganhadora do contrato deverá fazer a coleta do ligo orgânico e reciclável, tirando assim a responsabilidade da Converd (Cooperativa de Reciclagem de Votuporanga), que faria a partir de então, apenas a separação. No entanto, as mudanças não terminam, o vereador Osmair Ferrari (PSDB) levantou outra questão sobre a Saev Ambiental (Superintendência de Água, Esgotos e Meio Ambiente de Votuporanga), dizendo que a autarquia está com o projeto de cobrar taxa de limpeza pública.
Questionado pelo Diário, o órgão confirmou os estudos e disse ainda que deverá sim, ser efetivada. “A Saev Ambiental estuda uma forma de receita com relação ao lixo para cumprir as determinações da nova política nacional de resíduos sólidos, sob a lei nº 12.305 de 02 de agosto de 2010. Independentemente do próximo contrato, esta cobrança deverá ser efetivada para que seja cumprido o que é estabelecido pela legislação.”
Na tribuna, Ferrari já apresentou a própria indignação diante da possível cobrança de taxa e fez até mesmo um comparativo com a realização da Expô-Fisav (Fundo das Instituições Sociais e Associadas de Votuporanga), na qual alertou sobre o local escolhido para que fosse realizada. “Vou antecipar como fiz com a Expô-Fisav, pois meu maior receio, é que está em estudo a criação de uma taxa de limpeza pública, provavelmente será no carnê de pagamento. Isso deixará a população revoltada, porque ninguém aguenta mais pagar impostos, já basta que teremos a taxa de iluminação pública, o nosso IPTU subiu, tivemos ainda esse transtorno nos boletos de pagamento da Saev, também nos cobram as podas de árvores, que está um absurdo. Se realmente existir essa taxa, será um grande desgaste, já me antecipo pedindo que isso não aconteça.”
O vereador enviou um oficio, solicitando que fossem analisadas outras formas. “A Saev paga em torno de R$ 5,5 milhões para a empresa de lixo e deve ir para R$ 7 milhões. Analisem a diminuição de cargos de comissão, é uma alternativa, sou contra caso esse projeto venha para a casa de leis. Respeito muito a Saev, mas se ela não tem condições de fazer o serviço, que ele volte para a Prefeitura”, argumentou.  Diário de Votuporanga

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password