Venda de permanentes cresce após montagem de estrutura

O presidente da Expô/Fisav, José Euclides Koguchi, esteve ontem no Jornal da Cidade, na Rádio Cidade. Antes da entrevista, ele conversou com a reportagem e disse que a venda de permanentes cresceu na última semana. Koguchi acredita no aumento porque as pessoas viram a estrutura da festa deste ano.

 

Os camarotes já estão 90% vendidos. “Deu uma melhorada nos últimos dias em virtude da população ver que a festa realmente vai acontecer. E eu digo: vai ficar melhor que no recinto”, falou. Koguchi não sabe se a festa deste ano pode dar algum prejuízo. “Tem que esperar acontecer”, disse.

Shows A grade de show foi fechada em torno de R$ 1 mi. “É metade do custo da festa”, disse. A festa começa no dia 6, próxima terça-feira, com o show de Cristiano Araújo; no dia 7 tem Jorge e Matheus. No dia 8, aniversário da cidade, quem se apresenta é a dupla Bruno e Marrone, com entrada gratuita. A organização pede 1 litro de leite ou óleo, ou a contribuição de R$ 3 para ser repassada às entidades assistenciais. No dia 9, é a vez da dupla Fernando e Sorocaba.

No sábado, dia 10, quem sobe no palco é Claudia Leitte, pela primeira vez na festa. Quem encerra a Expô/fisav 2013 é a dupla Munhoz e Mariano, no dia 11. Ingressos diários Durante sua entrevista na rádio, o presidente da festa não falou sobre qual será o valor do ingresso diário para ver os shows, mas mas para a redação do jornal A Cidade, disse que pode ser de R$ 30. “O preço ainda não está definido, mas se a pessoa vai em dois ou até três dias é o mesmo valor de uma permanente”, falou. Koguchi relembrou o ditado: “brasileiro deixa tudo para a última hora”, e aconselhou as pessoas a comprarem a permanente.

 

Investimentos

 

O Fisav gastava, somente com o aluguel e reforma do recinto, cerca de R$ 100 mil. Neste ano, com o dinheiro que seria pago no aluguel, foram investidos na ligação da energia completa, instalação hidráulica, na locação de conteiners para que as barracas dos clubes de serviço, entre outros. Koguchi falou que neste ano, o formato da festa está melhor. “Tivemos que colocar estrutura sim, mas temos mais espaço. A arena quando era no Recinto de Exposições, por exemplo, não tinha mais que 30 metros de largura.

 

No ano passado não podemos fazer queima de fogo porque o espaço era mínimo, não atendia às exigências da polícia. Este ano está melhor, tem mais espaço, o estacionamento está mais tranqüilo”, frisou.

Em relação à locação de barracas no local, Koguchi disse que o espaço todo já está fechado, mas pode ser que haja negociação. O parque de diversões, boate, arquibancadas, palco e camarotes já estão sendo finalizados. “As empresas já começam a montar os stands, a Fazendinha também está chegando”, frisou. Voluntários Entre diretoria, comissão organizadora, funcionários e voluntários, estima-se que a festa tenha até 250 pessoas trabalhando.

 

Na segunda, o Fisav será informado pela Prefeitura sobre os pontos de ônibus e, assim, divulgará à imprensa. Ele pede que as pessoas participem da festa. “Votuporanga não é uma cidade pequena como antes. O recinto não será mais próximo como era, mas sim, longe da área urbana. Não é possível agradar a todo mundo: se deixa na cidade, as pessoas reclamam do barulho; se faz na área rural, é porque está longe. Não é possível agradar a todo mundo, mas deixo o convite para que todos participem da nossa festa”, falou.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password