UTI Geral 2 aguarda compra de equipamentos

Santa Casa espera a publicação de um convênio com o Estado para montar e colocar em funcionamento a nova unidade

A SAnta CAsa de Votuporanga aguarda a publicação de um convênio com o Estado de São Paulo para a compra de equipamentos para a nova UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do hospital. O local abrigará 10 leitos e ajudará a desafogar a atual unidade que tem capacidade para abrigar 14 pacientes.

“São R$ 1.328.000,00 em equipamentos que vão deixar o local apto a receber novos pacientes. Essa é com certeza uma das nossas grandes conquistas”, disse o provedor da instituição, Valmir Dornelas.

O hospital passou a ser considerado Estruturante desde o começo do ano. Com a nova classificação feita pelo Governo do Estado, a instituição passou a atender 56 municípios com referência em alta complexidade, antes eram apenas 17 cidades atendidas.

“O Estado fez uma análise dos atendimentos feitos pela Santa Casa dos anos de 2012 e 2013 e aí passou a nos mandar uma verba referente a esses atendimentos”, contou Valmir.

Como o serviço de neurologia já não funcionava em 2012, o Estado não repassa valores para que a Santa Casa volte a atender esta demanda.

“Estamos lutando incansavelmente junto à Secretaria Estadual de Saúde para que nos mandem mais recursos para podermos assim retomar a neurologia. Não adianta voltarmos agora com o serviço para daqui alguns meses fecharmos novamente. Queremos sim que volte, mas precisamos ter responsabilidade para fazer a coisa certa”.

Emendas

O provedor também comentou sobre a visita que fez em Brasília na semana passada, junto de uma comitiva de autoridades da cidade.

“Foi muito produtivo, acho que conseguimos pelo menos três milhões em verba. Este é um trabalho que o hospital realiza há alguns anos, sempre em busca de recursos para a Santa Casa”.

Até o dia 31 de dezembro deste ano, a instituição tem para receber R$ 4.250.000,00 referentes a verbas conquistadas no ano passado.

“É bom deixar claro para a população que este dinheiro já vem destinado para a compra de equipamentos. Assim que ele é liberado, ele nem chega a entrar na conta do hospital, já vai direto para o fornecedor”, disse.

Valmir também lamentou a perda do deputado João Dado dentro da Câmara em Brasília. “Ele era nossa referência, quando chegamos lá, vamos direto ao gabinete dele, deixamos nossas malas, usamos os computadores. Além de tudo isso, ele nos direciona e abre as portas para conversarmos com outros deputados”.

Valmir faz avaliação do ano como provedor do hospital

O provedor também comentou sobre o ano que está chegando ao fim e as dificuldades que enfrentou para contornar a situação da Santa Casa.

“Eu, assim como todos os diretores do hospital, estamos muito felizes com essa nova experiência. Nossa principal missão é salvar vidas, e nós estamos aprendendo a lidar com muitas adversidades, já que não tínhamos experiência com a área de saúde”.

Em virtude da defasagem da tabela do SUS (Sistema Único de Saúde), Valmir revelou que o trabalho como provedor é muito mais difícil do que pensava.

“É uma atuação muito mais criteriosa, pois em minha empresa eu mexo com lucros, e aqui preciso lidar com dívidas também”.

Valmir também agradeceu a população sobre a ajuda que o hospital recebe por meio das campanhas que realiza como Saúde que dá Prêmios, Nota Fiscal Paulista, leilões, cofrinhos, entre outros.

“Conseguimos envolver voluntários de várias regiões, esse espírito de ajudar, poucas pessoas têm, e isso nos deixam muito felizes”.

Para finalizar, Valmir contou que não foi fácil encarar o desafio da provedoria, mas leva isso com uma grande lição.

“Estamos melhorando a cada dia, fazemos uma gestão enxuta, cortando os gastos e tentando aumentar as receitas. Não sou da área da saúde, mas sempre pensei muito bem para tomar as decisões mais certas e mais justas”. Isabela Jardinetti/A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password