UPA: somente 20% dos pacientes necessitam de atendimento de urgência e emergência em Votuporanga

Classificação de risco é realizada para atender com agilidade os casos que necessitam de acolhimento imediato; cada cor corresponde ao grau de prioridade clínica

Hoje, 80% dos atendimentos mensais da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Votuporanga não são considerados atendimentos de urgência e emergência, isso significa que muitos pacientes poderiam ser consultados nas unidades de saúde, com dia e hora marcados – reduzindo a demanda e o tempo de espera daqueles que necessitam de atendimento médico imediato.

Através do protocolo do HumanizaSUS, validado pelo Ministério da Saúde, a UPA realiza o acolhimento dos pacientes por meio da classificação de risco assim que chegam para serem atendidos.  Eles são avaliados pelo enfermeiro e recebem uma cor de acordo com a situação clínica apresentada. Neste momento, eles são informados sobre a cor e o tempo limite de espera.

Os casos mais graves são atendidos com prioridade e não necessariamente os que chegam antes. A gerente da OSS (Organização Social de Saúde), Ivonete Félix, explica que a triagem dos pacientes é feita a partir de uma observação prévia. “Um conjunto de sinais ou de sintomas é identificado para atribuir uma cor para cada paciente. A cor corresponde ao grau de prioridade clínica no atendimento e a um tempo de espera recomendado”. Este método funciona da seguinte forma:

– A cor vermelha significa alta prioridade 1 (EMERGÊNCIA) e o atendimento é imediato. O paciente com esta classificação é encaminhado imediatamente à sala de emergência.

– A cor amarela significa prioridade 2 (URGÊNCIA) com atendimento médico em até 30 minutos.

– O verde significa prioridade 3 (NÃO URGENTE), com tal classificação, o paciente poderá aguardar atendimento médico por até  2 horas.

– O azul significa prioridade 4, que são consultas de baixa e média complexidade, podendo aguardar atendimento médico por até 4 horas.

A secretária de saúde, Dra. Fabiana Parma, aponta que atualmente a demanda de atendimento de urgência e emergência na UPA varia entre 10 e 20%, um número significativamente baixo, diante do número de atendimentos de baixa complexidade também atendidos no pronto atendimento. “O modelo de classificação de risco é um instrumento de apoio para a identificação rápida e científica do doente de acordo com critérios clínicos para determinar em que ordem o paciente será atendido. Isso significa segurança e qualidade de atendimento tanto para quem precisa de acolhimento quanto para quem presta esse serviço”.

A despesa mensal da UPA é de R$ 440 mil para o atendimento de 5,9 mil pacientes. De janeiro até agora, o pronto atendimento registra 64,9 mil consultas.

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password