Último acusado de agredir Tonny vai a juri na sexta

Elder de Souza, o “Tuca”, ficou foragido após o crime, foi preso em 2012 e agora responde pelo crime no tribunal

O Fórum da Comarca de Votuporanga realiza na próxima sexta-­feira (28) o julgamento do último acusado de ter espancado até quase a morte o jovem Tonny Pires Custódio, na saída de uma casa de shows, que funcionava na avenida Nasser Marão, em 2010. Senta ao banco dos réus Elder de Souza, o “Tuca”. Ele vai ao tribunal somente agora porque ficou foragido após o crime, mas foi preso em 2012.

O julgamento terá início às 9h com a formação do Conselho de Sentença, que é a escolha de sete pessoas das 25 já pré­-selecionadas em sorteio realizado no último dia 12 (confira no box os nomes dos jurados que deverão comparecer ao tribunal) que vão julgar a culpa do réu, para o juiz Jorge Canil, responsável pelo caso, avaliar a sentença.

O fato ocorreu no dia 4 de abril de 2010, por volta das 5h, nas proximidades da “Boate Toten Mais”. Consta nos autos da pronúncia (que indica que o réu deve responder pelo crime em júri popular) que Elder de Souza e outras pessoas, incluindo adolescentes, depois de confusão no interior da casa de shows, agindo por motivo fútil, empregando meio cruel, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, passaram a agredir o jovem Tonny.

A vítima teria sido agredida inicialmente com uma “voadora”, depois sofrido socos, pisões e chutes por todo o corpo. Segundo a acusação, supondo que Tonny estivesse morto, o grupo deixou o local. Consta na denúncia do Ministério Público que a morte só não se consumou porque o rapaz foi socorrido a tempo, chegando ao hospital com traumatismo craniano, hemorragia e outras lesões.

Elder foi preso no dia 22 de outubro de 2012. Os outros acusados, Jhonatan Junio dos Santos, o “Tiziu”, Flávio Henrique Malavazi, o “Zóio”, André Henrique da Silva, o “Dinão”, Marcelo dos Santos Souza e dois adolescentes já foram sentenciados. Flávio Malavazzi foi condenado em 1ª Instância a 18 anos e Marcelo dos Santos a 12 anos e 8 meses de prisão, todos em regime inicial fechado. André Henrique de Lima recorreu ao Tribunal de Justiça de São Paulo e foi absolvido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo em 2012. Jhonatan Junio dos Santos, o primeiro a ser julgado, foi condenado a 12 anos e oito meses de prisão, sem direito a apelar em liberdade. Já com relação aos adolescentes não há a informação sobre o teor das sentenças.

Após ter ficado vários dias entre a vida e a morte, Tonny Pires Custódio passou por longa recuperação, ainda convivendo com algumas sequelas. Hoje dá palestras, participa de grupo de jovens na igreja católica e credita a Deus sua sobrevivência. Em 2013, concedeu entrevista ao A Cidade, e disse que perdoou seus agressores. Jociano Garofolo/A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password