Trio é preso por aplicar golpe em políticos

Policiais federais de Jales prenderam em flagrante na manhã de ontem em Rio Preto três pessoas que estavam aplicando golpe em políticos da região. Parte da quadrilha estava em um flat aguardando uma nova vítima enquanto outro integrante, um investigador da Polícia Civil do Rio de Janeiro, dava cobertura para a dupla fora do prédio. Os suspeitos foram presos com duas maletas de dinheiro, com notas falsas e verdadeiras, totalizando mais de R$ 600 mil.

O golpe consistia em conseguir milhares de dólares, com os golpistas afirmando que iriam trocar este dinheiro por recursos de sobra de campanhas de deputados e senadores de Brasília.

A investigação federal denominada “Mala Preta”, em alusão à mala utilizada pelos golpistas para levar o dinheiro, teve início no mês de abril quando a PF obteve informações que um grupo estaria fazendo reuniões com políticos e pretensos políticos da região de Rio Preto. A primeira reunião, de acordo com a PF, aconteceu em um hotel em Votuporanga.

Os golpistas diziam que os recursos eram provenientes de “caixa dois” de campanhas passadas e estariam dispostos a trocá-los por dólares a uma cotação bem mais alta que a oficial.

As vítimas que acreditavam nos golpistas conseguiam valores de 50 a 250 mil dólares para serem trocados por reais. Os golpistas trocavam os dólares verdadeiros por reais falsos. “Os pacotes eram lacrados com fitas semelhantes às da Casa da Moeda e com cédulas de real verdadeiras nas extremidades dos pacotes e falsas no interior dos mesmos para ludibriar as vítimas”, informou por meio de nota a Polícia Federal.

O produtor rural de Divinópolis (MG) J.M.M., de 43 anos, que se passava por assessor financeiro e político de deputados e senadores de Brasília, e a corretora de imóveis A.C.Q.M., 35, da cidade de Taquara (RJ), que se passava por secretária do assessor foram presos na manhã por agentes disfarçados. A dupla estava no saguão aguardando uma nova vítima.

O terceiro preso foi o investigador F.B.B., 50 anos, marido da corretora. Ele dava cobertura para a dupla do lado de fora do flat. Os federais encontraram com ele uma mala preta com aproximadamente R$ 300 mil entre cédulas verdadeiras e cédulas semelhantes às de R$ 50. As cédulas verdadeiras estavam na capa dos pacotes de reais levando a crer que todas as demais eram verdadeiras. Ele estava portando uma pistola Taurus, calibre 40, de propriedade da Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Em outro hotel, na rodovia Washington Luis em Rio Preto, outra mala com aproximadamente R$ 300 mil em cédulas verdadeiras e semelhantes às verdadeiras foi localizada. Os presos pretendiam fugir para o Rio de Janeiro e Divinópolis após a concretização do golpe.

Uma agenda contendo diversos nomes também foi encontrada pela PF com os presos. Os nomes ali indicados serão investigados para identificar outras possíveis vítimas do grupo.

 

André Nonato

andre.nonato@diariodaregiao.com.br

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password