Assassinos do médico Hedilon são condenados a 56 anos

Terminou por volta das 20h30, desta quarta-feira, dia 25, no Fórum de General Salgado, o julgamento de dois dos quatro acusados pela morte brutal do médico votuporanguense Dr Hedilon Basílio Silveira Junior, que morreu aos 50 anos de idade, em uma emboscada preparada pelos acusados.

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri de General Salgado condenou os réus Alessandro Pires Mateus e Júlio Cesar Queiroz Monteiro, a uma pena que, somadas, chega a 56 anos de prisão.

De acordo com informações colhidas pela reportagem do votunews.com.br, o júri começou às 10h30, e terminou por volta das 20h30, com a leitura da sentença proferida pelo magistrado Ricardo Palacin Pagliuso.

Os outros dois acusados – o casal Aparecido Dias Barbosa e Erika Patrícia Cruz, apontados como os mandantes do crime, devem ser julgados em outra ocasião, já que os seus processos ainda estão em fase de recursos.

JÚRI:

 

De acordo com informações, o réu Alessandro Pires Mateus, foi condenado a cumprir a uma pena de 34 anos, sete meses e 22 dias de prisão em regime fechado. O Conselho de Sentença o condenou pelos crimes de homicídio, três tentativas de homicídio e três cárcere privado. Já Júlio foi condenado a uma pena de 19 anos, sete meses e três dias de prisão em regime fechado pelos crimes de homicídio e três cárceres privados.

Conforme informações, os advogados de defesa dos dois réus já se manifestaram que irão recorrer da sentença junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo.

A Polícia Militar reforçou a segurança em torno do prédio do Fórum, mas o júri aconteceu sem nenhuma interferência. Após a leitura da sentença proferida pelo juiz Ricardo, os dois condenados retornaram para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Riolândia, de onde deverão ser transferidos para alguma penitenciária de segurança máxima do Estado.

Votunews:

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password