Total de multas cai 39% no segundo mês

Secretário rebateu críticas do presidente do Sincomércio

Os policiais da Atividade Delegada aplicaram em outubro 600 multas. O montante é 39% menor que o registrado em setembro. O balanço foi divulgado ontem pelo secretário de Trânsito, Transporte e Segurança, Alberto Casali, para o Diário. Os dados se referem ao segundo mês do programa na cidade.

De acordo com Casali, foram 643 autuações em 30 dias. Destas, 297 são relacionadas ao estacionamento rotativo (falta de cartão da Área Azul, estacionamento irregular em vagas de deficientes físicos e idosos); 142 por falta de cinto de segurança e 169 de uso de telefone celular no volante.

No período, foram oito empresas de mototáxi fiscalizadas e 86 vistorias em praças públicas. Seis ambulantes foram fiscalizados e 1.725 cd’s e dvd’s foram apreendidos, oito pendrives e três aparelhos celulares.

A quantidade de multas em outubro é bem menor do que no primeiro mês da iniciativa, quando foram registradas 1.054 infrações, uma queda de 39%. Para Casali, a redução é justificada pela conscientização dos motoristas.

O secretário argumentou que, antes da Atividade Delegada, não existia fiscalização no centro da cidade. “Ninguém colocava cinto de segurança, estando a 10 ou 100 quilômetros por hora”.

Ele também comentou sobre o ofício do presidente do Sincomércio, João Herrera, para a Câmara de Votuporanga. No documento, Herrera questiona alguns critérios de multas da Atividade Delegada como uso de cinto de segurança com velocidade a 5 quilômetros por hora e a falta de cartão da Área Azul por cinco minutos. “Existe um Código de Trânsito que diz que é obrigatório o uso de cinto, estando a 5 ou 100 quilômetros por hora.O que me estranha é que precisamos de vaga no centro da cidade (por isso o uso de bilhete da Área Azul).O comerciante não pode ficar mais de duas horas em frente a loja.A Área Azul não é estacionamento privativo”.

Casali disse que o estacionamento rotativo compreende a 50 quarteirões.Emmédia, cada quarteirão ocupa 10 carros. “Se em duas horas as pessoas saem das vagas, hipoteticamente teremos 2.000 de estacionamento na área central. Não precisa ficar mais de duas horas na vaga”.

O secretário negou as acusações de que as agentes do estacionamento rotativo entram em contato com a Polícia Militar para multar os veículos que não têm cartão. “Isso não procede. Quando os agentes encontram os PM´s, eles comunicam sobre a falta de cartão, mas não ligam para avisar o fato”.

Andressa Aoki
andressa.aoki@diariodaregiao.com.br

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password