Tetraplégico fica sem atendimento

A falta de ambulância às quintas- feiras impede as sessões de fisioterapia do faxineiro Willian dos Santos Moraes, de 25 anos. Moraes sofreuumacidente de trabalho que o deixou tetraplégico e depende do serviço da Secretaria de Saúde de Votuporanga para ir até o Centro Universitário de Votuporanga (Unifev), que disponibilizou o atendimento às segundas e quintas-feiras.

O jovem vai à fisioterapia às segundas-feiras, com a ambulância da pasta. A irmã de Moraes, Walquíria Moraes dos Santos, de 27 anos, solicitou o serviço também às quintas-feiras, mas a Secretaria teria informado que não tem esse horário disponível.

Valquíria apresentou para o Diário o laudo do médico Gustavo Botelho Sampaio, do Hospital de Base de Rio Preto, que recomendou sessões de fisioterapia três vezes na semana para o faxineiro.

A ambulância disponibilizada para a família não é a mais indicada. Segundo a irmã, o carro usado deixa o jovem “dobrado” na maca. “Dá dor no pescoço a situação que eu fico. Se eu fico de lado, minhas pernas doem”, disse o paciente.

Se as sessões acontecem uma vez na semana, a família do jovem se vira como pode. Rodrigo dos Santos Moraes, de 30 anos, é vigilante, mas aprendeu no hospital alguns exercícios de fisioterapia para ajudar na recuperação do irmão.

O tratamento em família tem dado resultado. O rapaz mexe um pouco os braços e os pés. “Quando sai do hospital, só mexia os antebraços”, disse Moraes.

Lucy Montoro

Hoje, os irmãos vão para o Centro de Reabilitação Lucy Montoro de Fernandópolis para a primeira consulta. O transporte será feito por uma ambulância que atende às necessidades do rapaz.

Entretanto, o jovem reclama que a maca não tem cinto de segurança. “Oro todo dia que saio de casa para voltar com segurança. O perigo de acidentes existe. Se eu cair, dificulta ainda mais meu tratamento”, disse.

Moraes sofreu acidente de trabalho há 45 dias, quando bateu a cabeça em um exaustor. Ele fraturou a vértebra C3 e C4 e a médula ficou inchada.

A família depende de doações dos votuporanguenses para ajudar na compra de fraldas para o rapaz, já que as doadas pelo município que não são suficientes para o tratamento. Interessados em ajudar pode entrar em contato pelo celular: (17) 99232-0064 e falar com Walquíria.

Providências

O vereador André Figueiredo (SD) procurou a família. Ele irá enviar ofício para a Secretaria, cobrando providências.

Saúde

O Diário entrou em contato com a assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde. Por meio de nota, a assessoria esclarecu que as viagens com pacientes e acompanhantes são realizadas com veículos de tamanho grande (furgões ambulâncias).

A pasta disse ainda que o agendamento prévio para a utilização do serviço de ambulância é obrigatório, seja para viagens ou traslados dentro do município. “Vale destacar que o agendamento do paciente só poderá ser realizado mediante apresentação dos documentos da instituição responsável pelas consultas/ exames/ sessões terapêuticas, constando as datas e horários”, disse.

A solicitação da ambulância para viagens ou traslados deve ser feita pessoalmente, de segunda a sexta-feira, das 7 às 17 horas na sede do Transporte Saúde.

O Transporte Saúde fica na rua Padre Izidoro Cordeiro Paranhos, 2463, e atende pelo telefone 3423-4909.

Andressa Aoki
andressa.aoki@diariodaregiao.com.br

0 Comentários

    Deixe um Comentário

    Login

    Bem vindo! Faça login na sua conta

    Lembre de mim Perdeu sua senha?

    Lost Password