Taxistas da rodoviária cobram valor fixo na corrida e não usam o taxímetro

Duas viagens em horários diferentes feitas pela reportagem confirmaram que os motoristas não fizeram uso do taxímetro, que é obrigatório por lei

Taxistas com ponto no Terminal Rodoviário de Votuporanga não estão fazendo o uso do taxímetro para levar os passageiros neste Carnaval. O valor fixo de R$20 foi cobrado por dois deles na última sexta-feira, em viagens que a reportagem pagou para fazer da rodoviária a hotéis da cidade.

A obrigatoriedade do taxímetro é prevista na lei federal 2.468/2011 que determina que todas as cidades que possuem mais de 50 mil habitantes utilizem a tabela de tarifas mediante o uso dos aparelhos. Em Votuporanga, a lei passou a valer desde o dia 13 de junho de 2013.

“Todos os taxistas são obrigados a usarem o taxímetro e caso ele não seja utilizado o usuário poderá ligar para a polícia que tomará as devidas providências, já que esta é uma lei”, informa a prefeitura de Votuporanga.

Na manhã da última sexta-feira, a reportagem pegou o primeiro táxi, adesivado como sendo um dos táxis oficiais do Bloco Oba. O destino foi um hotel perto do centro da cidade, o motorista não ligou o taxímetro, fez o caminho mais curto e no final da corrida cobrou R$20.

Na parte da tarde, outro táxi foi pego, desta vez na Praça São Bento, ele não estava com o adesivo do Carnaval. O destino foi o Assary Clube de Campo, o taxista foi honesto e acionou o taxímetro quando ligou o carro. “Vou ligar este taxímetro aqui né, porque agora é lei aqui na cidade usar este aparelho. Para nós além de termo que ter pagado por ele, estamos ganhando menos também”, alegou.

Chegando ao local de destino, o aparelho marcava R$11,75. A reportagem só tinha uma nota de R$50, o taxista não tinha o troco, então, ele acabou fazendo a corrida por R$10.

A reportagem então voltou até a rodoviária e pegou outro táxi, que também estava credenciado como oficial do Bloco Oba.  O destino foi outro hotel no centro da cidade. O motorista novamente não ligou o taxímetro o no fim da corrida cobrou os R$20.

Perguntado por que ele não tinha utilizado o aparelho, o taxista disse “Só ligamos quando o passageiro pede se não a corrida é 20 reais mesmo”. Ele ainda entregou um cartão para a reportagem, caso precisasse novamente dos serviços.

Preço

Para efeitos de cálculo feito pela prefeitura de Votuporanga, por exemplo, hoje uma corrida do Terminal Rodoviário até o centro da cidade com o acionamento do taxímetro é em torno de R$13.

Os valores fixados pela prefeitura de Votuporanga em decreto são: a bandeirada é de R$4,50, o quilômetro rodado na bandeira 01 é de R$3,50, na bandeira 02 R$3,90, a hora parada é R$20 e a fração R$ 0,35.

Consta no decreto que a bandeira 01 vale para o horário das 6h às 18h e a bandeira 02 das 18h01 às 5h59. Nos finais de semana, contado a partir do meio-dia de sábado às 5h59 de segunda-feira valerá a bandeira 02.

Mais informações sobre o assunto pelo telefone (17) 3422-3042.

Credenciamento

A prefeitura, por meio da Secretaria de Trânsito, Transporte e Segurança, participou de uma reunião com os responsáveis do bloco Oba e ficou decidido que eles (oba) fariam um credenciamento e distribuiriam os adesivos para os taxistas.

Existe um total de 60 autorizações para taxistas na cidade. Todos os taxistas podem trabalhar no carnaval, até mesmo os que não efetuaram o cadastramento com a organização do Oba, de acordo com a prefeitura.

“É preciso ressaltar que o taxímetro deve ser usado. Os profissionais de outras cidades é preciso que fiquem atentos e não transportem os foliões dentro de Votuporanga, sem que os passageiros venham de suas respectivas cidades, já que corre o risco de serem denunciados”, alerta a administração. Foto: Alex Pelicer/O Jornal (Colaborou Glaucia Moraes). Isabela Jardinetti/O Jornal

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password