Sociedade de Obstetrícia analisa caso dos trigêmeos

O casal de Parisi que teve uma grande surpresa ao descobrir trigêmeos na hora do parto foi destaque novamente em rede nacional. A história de Ana Paula e Renato foi noticiada ontem, no Jornal Hoje, da Rede Globo.
Eles já tinham um filho e planejavam mais um. Logo no começo da gestação, Ana Paula e Renato souberam que seriam pais de gêmeos e escolheram os nomes: Pedro e Felipe.
Na hora do parto veio mais uma surpresa. “O médico tirou o primeiro bebê, perguntou o nome. O segundo, que foi o Felipe. Aí ele pegou e falou que tinha mais uma bolsa. No centro cirúrgico ninguém acreditou. Aí foi um susto, porque ele falou, ‘não, gente, é verdade, tem até o pezinho aqui já’. Aí ele tirou, eu só acreditei na hora que eu escutei o bebê chorando mesmo”, contou Ana Paula Faria à reportagem.
O terceiro estava lá, escondidinho na barriga da mamãe. O nome foi escolhido na hora: Paulo. O pai acompanhou tudo de perto e precisou de um tempo para acreditar no que estava vendo. “A emoção é tão grande, que eu parei um pouco e falei: ‘é brincadeira’. Depois fui cair na real que era verdade. O médico já foi movimentando, pegando o bebê, mas eu queria ver mesmo, pegar”, conta Renato Ferreira, pai dos trigêmeos.
Ao contrário do que foi dito à apresentadora Fátima Bernardes, Ana Paula disse que fez vários ultrassons durante a gestação. Os exames feitos no pré-natal mostravam apenas dois bebês. Até mesmo o que foi feito antes do parto. “Eu fiz vários ultrassons e todos mostravam só dois. Inclusive antes do parto eu fiz mais dois, na Santa Casa e só mostravam dois bebês”, diz a mãe.
A Sociedade Regional de Obstetrícia está analisando o caso. “É um caso incomum. Hoje, com os aparelhos de ultrassom, é muito raro não conseguir detectar uma gravidez múltipla. Pacientes que têm um índice de massa corporal aumentada, pacientes que são obesas, existe uma dificuldade no ultrassom em detectar essa imagem”, explica o médico José Luiz Crivellin.
Pedro, Felipe e Paulo não são idênticos. Cada um foi gerado em uma placenta. Os irmãos nasceram na Santa Casa de Votuporanga, com 33 semanas.
Em casa, a família conta com a ajuda do filho mais velho para cuidar dos trigêmeos. O Lucas, de 12 anos, é um grude só com os irmãozinhos. “Me senti muito feliz. Nunca tive nenhum irmão e de uma vez vieram três”. Da Redação/Diário de Votuporanga

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password