Servidores municipais de Votuporanga querem 15% de aumento nos salários

Reunião definiu pauta de reivindicações que será entregue hoje ao Poder Executivo; Sindicato aguarda contraproposta para marcar assembleia 

O Sindicato dos Servidores Municipais de Votuporanga entrega hoje ao Poder Executivo a pauta de reivindicações da categoria. Em reunião da tarde de ontem, na Câmara Municipal, membros da categoria definiram as alterações que serão cobradas da Prefeitura.

A categoria quer 15% de reajuste salarial, com margem de 5% para negociação, aumento de R$ 70 no valor da cesta básica, que passaria de R$ 150 para R$ 220, incorporação aos vencimentos dos R$ 90 de prêmio de assiduidade e mudanças na relação trabalhista entre empregador e funcionários, com implantação de critérios específicos para aberturas de sindicâncias.

Outro ponto levantado na reunião e que foi incluído na pauta alteração da data base para reajustes. Fixada em março, os servidores querem que seja antecipada para janeiro. O presidente do Sindicato, Inácio de Oliveira Pereira, disse que a assembleia oficial vai acontecer depois de uma contraproposta ser feita pelo prefeito Junior Marão. “Apresentamos hoje o que entendemos que entendemos que seja o melhor para os servidores. Agora vamos esperar o que o Executivo tem a propor para chegarmos ao acordo final”.

O advogado José Alberto dos Santos disse que o Sindicato formulou alternativas para o prêmio de assiduidade. Os servidores querem que a lei seja mais flexível e permita que o abono não seja perdido em caso de falta justificada. Além disso, caso o Executivo não aceite incorporar o valor atual aos salários, a proposta é de que a importância passe a ser de R$ 150. “Se o prefeito aceitar agregar os R$ 90 aos vencimentos pediremos um novo valor de abono, que poderá ser menor. Os R$ 150 serão sugeridos se não houver chance de juntarmos o atual benefício ao salário”, afirmou.

José Alberto disse que não existe nenhum tipo de enfrentamento entre o Sindicato e a Prefeitura. A categoria busca apenas correções de salários e melhorias nas condições de trabalho. A expectativa é de que o prefeito receba bem as propostas e facilite as negociações.

O advogado e vereador Douglas Lisboa, que acompanhou a reunião, pediu aos servidores para que articulem a negociação e consigam chegar a valores satisfatórios antes que o Executivo formule o projeto de lei e envie para votação na Câmara. “Depois que o projeto for colocado em votações, o vereadores não podem pedir alterações. A votação será para aprovar ou não. Se for rejeitado, a proposta não poderia mais ser votada neste ano os servidores só teriam aumentos em 2015”, afirmou. (Foto: Alex Pelicer – O Jornal) Getúlio Salvador/O Jornal

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password