Servidor municipal passa a pagar por benefício

Quem está na ativa vai arcar com 20% do serviço oferecido; já o aposentado vai precisar cobrir uma parte maior, 50% do valor

A partir de novembro, os servidores públicos municipais precisarão colaborar mensalmente para continuar sendo atendidos pelo plano de saúde. Os que estão em atividade vão contribuir com 20%, já os aposentados, com 50%. O decreto, publicado ontem, Dia do Servidor Público, no jornal A Cidade, não foi um presente agravável aos trabalhadores.

O município tem hoje, 1.981 servidores ativos e 370 aposentados, que são atendidos pelo Sansaúde. Até o momento, eles não pagavam para ter direito ao serviço.

Para se ter uma ideia, a pessoa que se aposentar com 60 anos de idade, a partir de agora terá que pagar R$ 280 de plano, valor que será dividido com o poder público.

Para o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, Inácio de Oliveira Pereira, a mudança deveria ter sido discutida com os trabalhadores, ao menos comunicada com antecedência. “Estou aguardando a volta do nosso advogado, que está em viagem, para discutirmos o que será feito. Fomos surpreendidos com a publicação no diário oficial (A Cidade). Fazem as mudanças e pegam todos de surpresa, sem nunca favorecer o servidor”, desabafou.

Inácio aproveitou para reclamar do valor que os planos de saúde cobram para atender os aposentados. “Eles colocam um preço altíssimo. Não querem nem saber das pessoas mais velhas”.

O vereador Walter José dos Santos elaborou um ofício e solicitou a assinatura de outros colegas da Câmara Municipal o apoio para um pedido de que a medida seja revista.

“Não achei legal fazer a cobrança do servidor, que já ganha pouco. Encontrei algumas pessoas que reclamaram muito e estão indignadas. Descontar não traz benefício algum”, reclamou Wartão. Leidiane Sabino/A Cidade

0 Comentários

Deixe um Comentário

Login

Bem vindo! Faça login na sua conta

Lembre de mim Perdeu sua senha?

Lost Password